Excesso de televisão na infância pode levar a comportamento agressivo e antissocial

Segundo pesquisa, crianças que passam muitas horas em frente à televisão são mais propensas a apresentar problemas de personalidade quando adultas

De acordo com pesquisadores da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, crianças que passam muito tempo em frente à televisão sentem mais emoções negativas e tendem a apresentar uma personalidade agressiva e antissocial ao longo da vida. Em um novo estudo, esses especialistas também descobriram que quanto mais horas os jovens assistem televisão, maior a chance de eles serem condenados pela justiça por algum motivo. Essas conclusões foram publicadas nesta segunda-feira na revista Pediatrics.

Conheça a pesquisa

TÍTULO ORIGINAL: Childhood and Adolescent Television Viewing and Antisocial Behavior in Early Adulthood

ONDE FOI DIVULGADA: periódico Pediatrics

QUEM FEZ: Lindsay A. Robertson, Helena M. McAnally e Robert J. Hancox

INSTITUIÇÃO: Universidade de Otago, Nova Zelândia

RESULTADO: Crianças que passam muitas horas em frente à televisão durante a infância, em comparação com as que menos assistem TV, são mais propensas a apresentar uma personalidade violenta e antissocial, além de sentirem mais emoções negativas do que as outras. Cada hora a mais na média em que uma criança passa em frente ao aparelho por dia aumenta em 30% o seu risco de, na idade adulta, ser condenada pela justiça por algum motivo.

Para realizar essa pesquisa, os autores selecionaram 1.037 indivíduos nascidos em 1972 ou 1973 que foram acompanhados até completarem 26 anos. Durante esse período, eles relataram quanto tempo passavam em frente à televisão e tiveram suas características de comportamento e personalidade analisadas. A partir desses dados, a equipe estudou a associação entre quantas horas o indivíduo costumava passar assistindo televisão quando tinha entre cinco e 15 anos de idade e problemas de comportamento, personalidade agressiva e distúrbios psicológicos na idade adulta.

Leia também:

Passar menos horas sentado ou assistindo televisão prolonga a vida

Segundo os resultados, os participantes que gastaram mais tempo na infância assistindo televisão, em comparação com aqueles que menos horas passavam em frente ao aparelho quando crianças, foram significativamente mais propensos a receber um diagnóstico de transtorno da personalidade antissocial (também chamada de psicopática ou sociopática). Além disso, a pesquisa concluiu que cada hora a mais na média de tempo em que uma criança assiste televisão em um dia comum, o risco de ela receber alguma condenação penal ao longo da vida aumenta em 30%. Essas conclusões não têm relação com fatores como nível socioeconômico ou características da família, afirmam os autores.

De acordo com Lindsay Robertson, uma das autoras do estudo, os participantes da pesquisa não apresentavam comportamentos antissociais quando crianças – ou seja, não recorreram à televisão porque já tinham uma personalidade antissocial. “Pelo contrário. Foi o excesso de televisão que desencadeou esse comportamento nas crianças”, diz. “Nossos resultados sugerem que a redução do tempo de televisão pode de alguma forma contribuir para a diminuição das taxas de comportamento antissocial na sociedade”, afirma Robert Hancox, outro autor da pesquisa.

Hábito prejudicial – Esse não é o primeiro estudo a apontar para danos causados pelo excesso de tempo em que passamos em frente à televisão. Pesquisas recentes concluíram que o hábito pode, entre outras coisas, piorar a alimentação, o aprendizado e o desempenho das crianças em atividades físicas, além de levar à obesidade infantil. A Academia Americana de Pediatria recomenda que as crianças não devem passar mais do que duas horas por dia em frente à televisão.