Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EUA dá autorização de emergência para dois novos testes de ebola

Para diagnosticar rapidamente os casos da doença, o país autorizou o uso de testes da empresa BioFire Defense

O FDA (Food and Drug Administration), agência reguladora de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos, concedeu autorização de emergência neste sábado para dois novos testes feitos pela empresa de diagnósticos BioFire Defense para detecção do vírus ebola em seres humanos.

O FDA disse em um comunicado que vinha trabalhando em estreita colaboração com a comnpanhia para obter os dados de desempenho necessários para permitir a autorização dos testes de ebola.

“Entendemos a importância de diagnosticar rapidamente os casos de ebola nos Estados Unidos e no exterior. A FDA está comprometida em trabalhar com empresas da forma mais acelerada possível para aumentar a disponibilidade de testes de diagnóstico autorizados para uso de emergência durante esta epidemia”, disse a agência.

Leia também:

Morre no Mali a primeira infectada com ebola no país

Estudo prevê que ebola pode matar 90 000 na Libéria até dezembro

Quarentena – Neste sábado, o governador do Estado de Nova York, Andrew Cuomo, defendeu sua decisão de colocar em quarentena os médicos que voltassem da África Ocidental. Ele disse estar tentando dar ao público uma sensação de confiança de que o governo os mantêm seguros.

Cuomo e o governador de Nova Jersey, Chris Christie, anunciaram na sexta-feira que os dois aeroportos internacionais da região fortaleceriam o rastreamento de passageiros vindos de países afetados pelo ebola. Neste sábado, o Estado de Illinois anunciou medida semelhante. Segundo eles, qualquer um que tenha entrado em contato com a doença será obrigado a ficar 21 dias em quarentena.

Epidemia – O número de mortos pela epidemia de ebola já chegou a 4.922 em oito países, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) divulgados neste sábado. O total de casos registrados soma 10.141. Os três países mais afetados na África Ocidental (Guiné, Libéria e Serra Leoa) registram 4.912 mortes pela doença. Os dados da OMS foram contabilizados até o dia 23 deste mês.

(Com Reuters)