Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estudo mostra 25% de adolescentes com risco de doenças cardíacas

Por José Maria Tomazela

Sorocaba – Um em cada quatro jovens que passaram pela primeira fase de testes do Estudo sobre Riscos Cardiovasculares em Adolescentes (Erica), conduzidos pela Faculdade de Medicina de Botucatu da Universidade Estadual Paulista (Unesp), apresentaram alto risco para doenças do coração. Até agora, 200 jovens passaram pelos testes e entrevistas, dos quais 90 tiveram os resultados avaliados. Desses, 25% apresentam, de forma isolada ou em conjunto, quadros de obesidade, pressão alterada, índice de açúcar no sangue e colesterol fora do normal. Todos serão encaminhados para acompanhamento médico.

Os adolescentes, com idade entre 12 e 17 anos, foram selecionados em Botucatu, a 235 km de São Paulo, uma das cinco cidades escolhidas pelo Ministério da Saúde para avaliar o risco de doenças cardiovasculares nessa faixa etária. Também fazem parte do estudo os municípios do Rio de Janeiro, Feira de Santana, Cuiabá e Campinas.

No Estado de São Paulo, além da Medicina da Unesp, o estudo é conduzido pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Os resultados das análises serão utilizados para a elaboração de políticas públicas para a prevenção de doenças cardiovasculares em adolescentes.

As avaliações são realizadas nas escolas e incluem medidas de peso, altura, circunferência de cintura, pressão arterial e exame de sangue, além do preenchimento de um questionário sobre hábitos alimentares e outras rotinas. Os pais ou responsáveis assinaram um termo de consentimento para a participação dos menores na pesquisa. “Esse projeto vai envolver uma população desconhecida, ou seja, que não aparenta ter as alterações que oferecem riscos de doenças cardiovasculares. Os resultados obtidos com esse estudo podem incentivar mudanças no estilo de vida dos adolescentes e sensibilizar as esferas públicas responsáveis pelas ações de prevenção”, disse Adriano Dias, professor de Saúde Pública e um dos coordenadores do programa.

O Erica pretende avaliar as condições de saúde de 75 mil estudantes de 1.251 escolas públicas e particulares, distribuídas por 134 cidades brasileiras.

José Maria Tomazela