Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Criança de 2 anos morre após beber achocolatado em Cuiabá

O menino teria chegado ao hospital com parada cardiorrespiratória após a ingestão da bebida

Uma criança de 2 anos morreu na última quinta-feira por parada cardiorrespiratória após tomar um achocolatado. Segundo denúncia feita pela mãe da criança à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o filho estava bem e começou a passar mal logo após ingerir a bebida, sofrendo com falta de ar, fraqueza e princípio de desmaio. Ainda segundo o relato, ela e um tio da criança também apresentaram mal-estar momentâneo após ingerir um pouco do mesmo achocolatado.

Quando começaram os sintomas, a criança foi levada para a Policlínica do Coxipó, em Cuiabá, Mato Grosso, mas faleceu uma hora após a internação. Em seu depoimento, a mãe, de 28 anos, disse que o filho bebeu o achocolatado Itambezinho, da marca Itambé, por volta das 9 horas da manhã. Antes disso, a vítima estava bem, apresentando apenas os sintomas de um resfriado leve havia dois dias. Após ingerir um pouco do mesmo achocolatado, a mãe relatou ter sentido náuseas e tontura. O tio do menino, com sintomas mais fortes, teria se dirigido ao Pronto-Socorro de Cuiabá.

Leia também:
Nos EUA, Nestlé recolhe produto com risco de contaminação
Pepsico manda recolher lote de Toddyinho contaminado por bactéria

A Polícia Civil apreendeu cinco caixas do achocolatado na residência da família e a embalagem vazia da unidade que teria sido consumida pela criança. Agora, o material passará por análise. As amostras colhidas do estômago da criança durante o exame de necropsia também serão avaliadas pelos peritos. Segundo a mãe, o achocolatado foi dado a ela por um vizinho, que ainda não foi localizado para prestar esclarecimentos.

Embora não haja confirmação de que o achocolatado tenha causado a morte da criança, a Coordenadoria Estadual de Vigilância Sanitária de Mato Grosso solicitou a interdição cautelar do lote completo de todos os achocolatados da marca Itambezinho que tenham sido fabricados em 25 de maio deste ano, com validade até 21 de novembro de 2016.

Em nota, a empresa afirmou que foi notificada dos fatos na última sexta-feira e esclareceu que mantém contato permanente com a Vigilância Sanitária regional e está auxiliando na apuração dos fatos. Ainda segundo a Itambé, o Itambezinho está no mercado há mais de uma década e nunca apresentou problema algum do gênero, e que até o presente momento não houve nenhuma outra reclamação sobre o mesmo lote.

A mãe da vítima registrou um boletim de ocorrência na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e o caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica), que já conversou com a família da vítima, vai ouvir os médicos e aguarda o laudo com o resultado dos exames da criança e da análise das amostras colhidas.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Denis Barbosa

    Eu ia responder ao Marcelo Maciel e dizer para ele ler a matéria, mas já fizeram isso..

    Curtir

  2. Regina Celia

    Gente será que vocês não entenderam que o Marcelo quis dizer que no link antes de abrir a matéria colocaram achocolatado e não logo de cara a marca que supostamente está contaminada….elê quis dizer que eles gostam que entrem na matéria pra descobrir a marca…Por isso ele escreveu aquilo

    Curtir

  3. Ex-microempresário

    Um conhecido meu teve uma parada cardíaca logo depois de assistir à novela. Será que a vigilância sanitária vai interditar preventivamente a Rede Globo?

    Curtir

  4. wendeli alves (wilcoxjvkb)

    “Segundo a mãe, o achocolatado foi dado a ela por um vizinho, que ainda não foi localizado para prestar esclarecimentos.” O vizinho deu o achocolatado de pois sumiu, mas como isso nao gera click é dado muito mais ênfase “morreu por ter tomado achocolatado”

    Curtir

  5. Iandra Rafaella Beatto

    Tivemos dois casos em Rondônia em que criancas chegaram convulsionando ao hospital apos ingerir o mesmo achocolatado .

    Curtir