Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Casca de romã pode prevenir Alzheimer, diz estudo

Pesquisa da Universidade de São Paulo indica que a casca da fruta ajuda ainda a combater sintomas da doença, como a falta de memória

A romã pode ajudar a prevenir o Alzheimer. De acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da Universidade de São Paulo (USP) em Piracicaba (SP), a casca da fruta é rica em substâncias que ajudam a combater sintomas da doença, como a falta de memória.

Maressa Caldeira Morzelle, doutora em Ciência e Tecnologia de Alimentos, da Esalq/USP, explicou ao G1 que a casca da fruta, que geralmente é descartada, concentra a maior quantidade das substâncias que trazem benefícios à saúde, como a prevenção do Alzheimer. “A casca tem dez vezes mais dessas substâncias antioxidantes que a polpa”, explicou ao G1.

Leia também:
10 formas de prevenir o Alzheimer e a perda de memória
Um em cada três casos de Alzheimer pode ser evitado

O estudo também analisou outras frutas, mas a romã foi que apresentou melhor resultado. “Em comparação com outras frutas como o morango e blueberry, que também são antioxidantes, a romã é a mais eficaz no combate a doenças degenerativas, pois na casca da fruta a uma alta concentração de de compostos fenólicos compostos fenólicos, os principais responsáveis pela atividade antioxidante”, afirmou ao G1.

A pesquisa

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores deram extrato da casca de romã para alguns animais. Os resultados mostraram que o consumo da substância foi capaz de inibir em até 77% a atividade da enzima acetilcolinesterase, que atua de forma prejudicial nas terminações nervosas.

Os animais tratados também apresentaram níveis de substâncias que favorecem a sobrevivência dos neurônios e foram capazes de reduzir as placas amiloides, uma das principais características da doença Alzheimer. Além disso, eles apresentaram manutenção da memória, o que não aconteceu nas cobaias que não foram tratadas com a romã.

Consumo

Embora os animais do estudo tenham sido tratados com extrato da casca da romã, porque o gosto desagradável da casca poderia dificultar a ingestão pelos animais, a pesquisadora afirma que “as pessoas podem fazer suco ou chá com a casca” para usufruir dos benefícios da fruta.

Como o efeito da substância é preventivo, Maressa recomenda começar a consumir a casca da romã ainda jovem. “O ideal é que as pessoas comecem a consumir a casca da romã o quanto antes, pois assim será cada vez menor a possibilidade de desenvolver o Alzheimer”, diz.