Brasil ocupa 2ª posição em número de cirurgias plásticas estéticas no mundo

Lipoaspiração é a cirurgia mais realizada no país, com um aumento de 129% de procedimentos nos últimos quatro anos

A lipoaspiração ajudou o Brasil a ocupar o segundo lugar no ranking mundial de cirurgias plásticas estéticas em 2011. Os dados são da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps) junto a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC), e outras entidades, cuja pesquisa listou os dez países com maior número de cirurgias plásticas do mundo. O Brasil, com 905.124 procedimentos, ficou atrás apenas dos Estados Unidos, que realizou 1.094.146 no mesmo ano. A pesquisa também mostra que o Brasil quase dobrou o número de cirurgias estéticas realizados nos últimos quatro anos, com 97,2% de crescimento.

Tabela
NÚMERO DE PROCEDIMENTOS REALIZADOS EM 2011
Estados Unidos 1.094.146
Brasil 905.124
China 415.140
Japão 372.773
Itália 316.470
México 299.835
Coreia do Sul 258.350
India 207.049
França 191.439
Alemanha 187.193

Nos últimos quatro anos, foram realizadas 211.108 lipoaspirações, um crescimento de 129%. Foi o tipo de cirurgia plástica estética mais realizada no Brasil. Crescimento semelhante teve a blefaroplastia, que é a cirurgia para a remoção da pele enrugada e caída das pálpebras do olho – com um aumento de 120%, ficou com a quarta colocação do ranking brasileiro. A segunda cirurgia estética mais realizada foi o aumento de mamas (148.962) e a terceira foi a abdominoplastia (95.004). Apesar de não ter entrado no ranking das mais realizadas, a cirurgia de colocação de prótese nos glúteos, a gluteoplastia, passou de 5.591 procedimentos para 21.452 nos últimos quatro anos, um aumento de 367%.

De acordo com o presidente da SBPC, José Horácio Aboudib, dobrar o número de cirurgias plásticas estéticas em quatros anos representa um avanço importante para a especialidade no país. Segundo ele, mesmo que os Estados Unidos realize um número maior de cirurgias, é importante levar em consideração não apenas o poder aquisitivo da população americana, mas também a população total dos países. O número de cirurgias per capita termina sendo bem próximo em ambos os países.

De acordo com levantamento da SBPC, o Brasil tem cerca de um cirurgião plástico para cada 44.000 habitantes, número superior ao dos Estados Unidos. Porém, frente ao crescente interesse da população e ao grande número de profissionais disponíveis, o órgão faz questão de alertar que é preciso ter cuidado na escolha de quem vai realizar o procedimento, que precisa ser especialista em cirurgia plástica com o respectivo título de formação.