Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Aprender um segundo idioma ajuda a conservar a saúde mental

De acordo com um estudo, pessoas bilíngues tendem a demorar mais para apresentar sinais de demência

Estudar um novo idioma pode ser uma boa estratégia para preservar funções como a memória e a capacidade de aprendizagem durante a velhice. É isso que revela uma pesquisa publicada nesta quarta-feira no periódico Neurology. Segundo o estudo, pessoas que falam mais de uma língua tendem a apresentar sinais de demência, ou seja, de diminuição das funções mentais, cerca de cinco anos mais tarde que os demais.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Age of onset of dementia is delayed by multilingualism and advanced by stroke and rural dwelling independently

Onde foi divulgada: periódico Neurology

Quem fez: S. Mekala, S. Alladi, T.H. Bak, V. Duggirala, B. Surampudi, A.K. Shukla, J.R. Chaudhuri e S. Kaul

Instituição: Universidade de Edimburgo, na Escócia, e Instituto Nizam de Ciências Médicas em Hyderabad, na Índia

Dados de amostragem: Cerca de 650 pacientes diagnosticados com demência

Resultado: Os pesquisadores chegaram à conclusão de que falar mais de um idioma faz com que os primeiros sintomas de demência se manifestem cinco anos mais tarde

A demência costuma afetar pessoas com mais de 65 anos de idade, mas não faz parte do processo normal de envelhecimento. No estudo, foram analisados aproximadamente 650 voluntários diagnosticados com o distúrbio – incluindo pacientes acometidos por Alzheimer e demência provocada por um acidente vascular cerebral. Ao fim da análise, os cientistas chegaram à conclusão de que os participantes bilíngues demoraram mais para apresentar os sintomas iniciais do transtorno.

Leia também:

Adiar a aposentadoria diminui o risco de Alzheimer

Nonagenários de hoje têm a mente mais saudável

Os mecanismos que levam ao benefício, entretanto, ainda são desconhecidos. Os pesquisadores sugerem que a troca de informações constante no processo bilíngue, com diferentes sons, palavras, conceitos e estruturas gramaticais, pode ser uma forma muito eficaz de treinar o cérebro.