Anvisa aprova medicamento para insônia inédito no Brasil

O novo tratamento é indicado para insônia caracterizada por dificuldade em iniciar o sono

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou na segunda-feira o registro do Rozerem (ramelteona) comprimidos 8 mg. O novo medicamento, inédito no Brasil, é indicado para o tratamento da insônia caracterizada por dificuldade em iniciar o sono.

A inovação do Rozerem está em seu mecanismo de ação. Enquanto a maioria dos medicamentos contra insônia trabalham desacelerando o sistema nervoso central, a ramelteona imita a melatonina, um químico que contribui para a regulação do ciclo natural de sono-vigília (ciclo circadiano) do corpo.

O Rozerem (ramelteona) será fabricado pela empresa Takeda Ireland localizada em Bray, Irlanda, e a detentora do registro do medicamento no Brasil é a empresa Takeda Pharma LTDA, localizada em São Paulo (SP).

Ação branda

De acordo com informações do site especializado Health.com, dos Estados Unidos, onde o produto está aprovado desde 2005, os cientistas por trás do desenvolvimento de Rozerem explicaram que direcionar os receptores de melatonina pode evitar os efeitos colaterais atordoantes dos medicamentos sedativos, que funcionam retardando o sistema nervoso central. Ao site americano, um representante da empresa comparou o medicamento ao ato de desligar um computador da maneira certa, enquanto usar outros medicamentos seria como simplesmente puxar o plugue, o que faz com que o processo de reinicialização demore mais tempo.

No entanto, ensaios clínicos mostraram que o medicamento ainda causou efeitos colaterais, como sonolência diurna e tonturas, em uma pequena parte dos pacientes. Também foi associado a níveis hormonais alterados, que podem causar efeitos colaterais sexuais.

 

Veja também

Insônia

A insônia, que pode ser caracterizada pela dificuldade de iniciar o sono, mantê-lo continuamente durante a noite ou despertar antes do horário desejado, é considerada uma doença altamente prevalente que afeta de 10% a 25% da população geral.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Adilson Nagamine

    Neuróticos anônimos ajuda você a ter serenidade.

    Curtir

  2. Reinaldo Favoreto Júnior

    os tais “calmantes” são preferência nacional. Eles poderiam ter impedido até a revolução francesa caso existisse na época

    Curtir

  3. Hugo Desmascarador

    Eu vou comprar.

    Curtir

  4. José Smigle

    Esse medicamento é um golpe contra o consumidor. Se você tem insônia, compre suplemento de melatonina que é natural, não provoca dependência e não precisa de receita médica. Como a indústria farmacêutica não pode patentear a melatonina, ficam inventando similares para enganar os consumidores e devem comprar organizações regulamentadoras, como a Anvisa, para proibir a venda de melatonina no país. Não caiam nessa roubada. Se acharem necessário, comprem melatonina diretamente dos fabricantes (estrangeiros é claro).

    Curtir

  5. Sergio Augusto

    A planta valeriana ou suplemento melatonina 1000 vezes melhor !!!

    Curtir

  6. Para que comprar um medicamento que imita a Melatonia, se você pode comprar diretamente a Melatonia? Somente para dar lucro ao Governo em um mercado que eles não podem atuar, porque a Melatonina é um produto natural que não pode ser patenteado.

    Curtir

  7. ” imita a melatonina, um químico que contribui para a regulação do ciclo natural de sono-vigília”. A melatonina não é um químico, é um hormônio natural produzido por animais e plantas.

    Curtir

  8. Que palhaçada… como já disseram: pra que vou tomar um MEDICAMENTO que imita a Melatonina, se eu posso tomar o suplemento que já é vendido baratinho (se comprado lá fora pq aqui sem condições) e ainda – pode – ter efeito colateral? Pois deviam aprovar logo a Melatonina, que se eu não me engano ainda não é aprovada e parar de gracinha… e eu não vou usar nunca esse droga…

    Curtir