Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Anvisa aponta que preço de remédio para ansiedade varia em até 680%

Benzodiazepínicos, classe analisada, lideram a lista dos medicamentos controlados mais vendidos no Brasil

Um levantamento feito pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mostra uma diferença de até 680% no preço de uma classe de medicamentos usada para tratamento de transtornos de ansiedade, os benzodiazepínicos. O trabalho avaliou os valores cobrados em 2013 por 14 remédios, de sete diferentes tipos ativos. Na análise, os preços variavam de R$ 5,92 a R$ 34,62.

Os benzodiazepínicos são considerados como medicamentos de segunda escolha para o tratamento transtornos de ansiedade. “Há ainda incerteza sobre sua eficácia a longo prazo. Eles também trazem risco de dependência”, afirmou Sybele Oliveira Lima, especialista da gerência de avaliação de economia da Anvisa.

Leia também:

Ansiedade não tem cura, mas tem tratamento

Ansiedade aumenta risco de sofrer derrame

Apesar das restrições na indicação, os benzodiazepínicos lideram a lista dos medicamentos controlados mais vendidos no Brasil. Uma das marcas (clonazepam), está em 9.ª posição na lista dos 100 remédios mais comercializados no país. Sybele afirma não haver estudos que indiquem superioridade entre os princípios ativos analisados. “Justamente por isso, o levantamento pode ser usado como um instrumento para que médicos e pacientes decidam qual a melhor estratégia a ser utilizada.”

Na comparação entre produtos com o mesmo princípio ativo, o Clozapan apresentou a menor variação de preços: 20%. A maior diferença foi constatada entre os medicamentos com Alprazolam: 348%.

Os principais transtornos de ansiedade são o de pânico, de ansiedade social, de ansiedade generalizada (TAG) e o transtorno obsessivo compulsivo (TOC). De acordo com o boletim da Anvisa, são considerados como medicamentos de primeira escolha os inibidores seletivos da recaptação de serotonina e os inibidores da recaptação de serotonina e noradrenalina. O levantamento está disponível no site da Anvisa (www.anvisa.gov.br) a partir desta quarta-feira, 5.

(Com Estadão Conteúdo)