Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alto consumo de sal pode agravar sintomas da esclerose múltipla, diz estudo

Pacientes que consumiam maior quantidade de sal tiveram mais surtos da doença do que aqueles que ingeriam menores quantidades

Um novo estudo constatou que uma dieta rica em sal pode agravar os sintomas da esclerose múltipla. A descoberta foi publicada nesta quinta-feira no periódico Journal of Neurology, Neurosurgery & Psychiatry.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Sodium intake is associated with increased disease activity in multiple sclerosis

Onde foi divulgada: Journal of Neurology, Neurosurgery & Psychiatry

Quem fez: Mauricio Farez, Marcela Fiol, María Gaitán, Francisco Quintana e Jorge Correale

Instituição: Instituto de Pesquisas Neurológicas Raúl Carrea, na Argentina, e Faculdade de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos

Resultado: Pacientes de esclerose múltipla que ingerem 2 gramas de sal ou mais por dia podem sofrer mais surtos da doença e ver a esclerose progredir de forma mais acentuada do que os que consomem sal em menores quantidades

A esclerose múltipla é uma doença autoimune, de causa desconhecida e incurável. Ela danifica ou destrói a mielina, uma substância que envolve e protege as fibras nervosas do cérebro, da medula espinal e do nervo óptico. Essas lesões desencadeiam sintomas sensitivos, motores e psicológicos.

Pesquisas anteriores apontaram que o sal pode alterar a resposta autoimune, mas não concluíram se seu consumo afeta o desenvolvimento da esclerose múltipla. No presente estudo, os pesquisadores analisaram amostras de sangue e de urina de 70 pessoas com esclerose múltipla.

Em três ocasiões ao longo de nove meses, os autores mediram os níveis de sal, creatinina e vitamina D dos pacientes. A saúde neurológica dos participantes foi monitorada ao longo de dois anos. Para comparação, o teor de sal na urina também foi mensurado em um segundo grupo com 52 pessoas também com a doença.

Leia também:

Estudo desenvolve medicamento mais prático e seguro contra esclerose múltipla

Esclerose múltipla pode ser detectada antes dos primeiros sintomas, diz estudo