’13 Reasons Why’: Vida como ela não deveria ser

O sucesso de '13 Reasons Why', a nova série da Netflix, levanta uma questão difícil: o suicídio deve ser exposto, sobretudo o de adolescentes?

A nova série da Netflix, 13 Reasons Why, atingiu em cheio o público adolescente. O assunto está nas rodas de alunos do ensino médio e despertou a preocupação das famílias, que não sabem se é bom para os filhos assistirem à crueza da morte auto infligida. O suicídio, afinal, deve ser exposto, sobretudo o de adolescentes? A reportagem de VEJA ouviu jovens, pais e psiquiatras a respeito. As opiniões são emblemáticas e variadas. Não se deve imaginar que o seriado seja um gatilho para o suicídio, mas também não se sabe quem está do outro lado da tela. A favor da exibição: trata-se de uma peça de ficção e não há terreno mais adequado para discutir questões delicadas. O coro contra: o sucesso bate de frente com as recomendações de especialistas sobre as maneiras mais adequadas para apresentar o suicídio. Não há dúvidas de que um grande debate foi lançado à sociedade.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. É só uma versão cinematográfica da nossa tupiniquim baleia azul, né?
    Tirando a jabuticaba que nos diferencia do país em que foi filmada a série, algo intrigante une todos esses jovens de mente vazia e cheio de direitos: falta de uma boa surra.

    Curtir

  2. Adilson Nagamine

    A saúde emocional das crianças importa?

    Curtir