10 formas de prevenir o Alzheimer e a perda de memória

De acordo com novo livro, atitudes simples que podem ser adotadas no dia a dia têm poder de prevenir a perda cognitiva capaz de levar ao Alzheimer

Nos últimos anos, centenas de pesquisadores ao redor do mundo têm se dedicado a estudar as causas e as possíveis formas de prevenção da doença de Alzheimer. Foi com base nos estudos científicos mais recentes que a jornalista americana Jean Carper elaborou o livro 100 Dicas Simples para Prevenir o Alzheimer – E a Perda de Memória (tradução Leila Couceiro; Sextante, 288 páginas, 29,90 reais). Para a publicação, a autora traduziu a informação médica em atitudes simples que podem ser incorporadas ao dia a dia para evitar o surgimento dos problemas de memória.

O Alzheimer é a forma mais comum de demência causada pela deterioração e atrofia lenta e progressiva do cérebro, ocasionada por dois tipos de dano neuronal: depósito de placas de proteína beta-amiloide e emaranhados de proteína tau no cérebro. A doença não tem cura e os medicamentos apenas ajudam a preservar o que restou da função cerebral, além de possibilitar o tratamento de sintomas secundários como insônia e depressão. Em estágios avançados, os problemas de memória podem vir acompanhados de dificuldade de locomoção, comunicação e deglutição e incontinência.

Sabe-se que o Alzheimer e outras demências são influenciadas pelos genes, que podem ganhar ou perder importância de acordo com estilo de vida e fatores ambientais. Então, pessoas com genes relacionados ao Alzheimer têm mais predisposição, mas não necessariamente estão predestinadas a desenvolver a doença. Por isso, segundo o livro, é tão importante realizar atividades e ter hábitos que mantenham o cérebro o mais ativo e saudável possível. Com base na publicação, o site de VEJA selecionou dez atitudes que podem evitar o surgimento da doença.

Leia também:

Alzheimer pode ter início 18 anos antes dos primeiros sintomas

Estimular o cérebro não evita Alzheimer, mas retarda os sintomas da doença