Temer entrega defesa na CCJ amanhã e tenta acelerar cronograma

Governo aposta em sustentação oral do advogado do presidente para convencer deputados a aprovar relatório contrário à aceitação da denúncia

A defesa do presidente Michel Temer (PMDB) será entregue à Comissão de Constituição e Justiça da Câmara já nesta quarta-feira, em uma tentativa de acelerar os trabalhos na CCJ. O advogado de Temer, Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, planeja fazer a sustentação oral da defesa na comissão, dentro do prazo de dez sessões que o presidente tem para se defender ante os parlamentares.

De acordo com um auxiliar presidencial, o governo aposta na sustentação oral de Mariz para convencer os deputados a aprovar um relatório contrário à aceitação da denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de corrupção passiva.

Apesar de ter maioria no Congresso, o governo ainda não tem certeza se possui todos os votos necessários para barrar a denúncia. A aprovação de um relatório contrário pela CCJ ajudaria a facilitar o caminho para que a denúncia seja rejeitada em plenário.

A defesa de Temer vai bater na versão já difundida de que a denúncia é “inepta” e fez uso de provas ilícitas, referindo-se à gravação da conversa entre o presidente e o empresário Joesley Batista, da JBS.

No lado político, o próprio presidente e seus auxiliares mais próximos intensificam as conversas políticas para conquistar votos, especialmente entre o grande número de parlamentares que ainda se colocam como “indecisos”. Nesta terça-feira, a maior parte da agenda do presidente será dedicada a receber parlamentares (veja a relação abaixo).

No mesmo dia, o presidente da CCJ, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG) deve anunciar o relator da denúncia na comissão. Apesar de ser do partido do presidente — e ter recebido cargos para acelerar a discussão e indicar alguém favorável ao governo, como confirmou uma fonte palaciana –, Pacheco tem feito Temer esperar.

O presidente da comissão diz que vai indicar um “perfil técnico” para a função. “Ele quer ser candidato ao governo de Minas Gerais, já está pensando em 2018. Está jogando para a plateia”, disse a fonte. O governo quer votar o relatório na CCJ no dia 13, para a partir daí a matéria poder ir para o plenário da Câmara.

Para o líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC-SE), se a defesa de Temer for realmente apresentada na quarta-feira, é possível encerrar o prazo de cinco sessões de deliberação até a semana seguinte e então votar o relatório na CCJ. “E votando na CCJ no dia 13, nós estaríamos com o pedido de denúncia pronto para levá-lo a plenário, logicamente que a definição dessa data é do presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ)“, disse Moura. “Eu espero que esse processo possa ser concluído até o prazo do período do recesso parlamentar”, concluiu Moura. O recesso começa em 18 de julho.

Maratona

Em sua agenda desta terça-feira, o presidente Temer deverá se reunir com 21 parlamentares, entre as 8h e as 21h30.

Dos dezesseis deputados que figuram na lista, seis são integrantes da CCJ — Ronaldo Fonseca (PROS-DF), Evandro Gussi (PV-SP), Lelo Coimbra (PMDB-ES), Rogério Peninha Mendonça (PMDB-SC), Darcísio Perondi (PMDB-RS) e Roberto de Lucena (PV-SP).

Veja abaixo os compromissos do presidente:

08h – deputado Ronaldo Fonseca (PROS-DF)

08h30 – senador Wilder Morais (PP-GO)

09h – deputado Evandro Gussi (PV-SP)

10h – senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO)

10h30 – Ricardo Barros – ministro da Saúde

11h – senador Telmário Mota (PTB-RR)

11h30 – deputada Christiane de Souza Yared (PR-PR)

12h30 – deputada Bruna Furlan (PSDB-SP)

15h – senador Roberto Rocha (PSB-MA)

15h30 – deputado Goulart (PSD-SP)

16h – senador Pedro Chaves dos Santos Filho (PSC-MS)

16h30 – senador José Maranhão (PMDB-PB)

17h – deputado Luiz Lauro Filho (PSB-SP)

17h30 – deputado Wilson Filho (PTB-PB), vice-líder, e o ex-senador WilsonSantiago, presidente do PTB na Paraíba

8h – deputado Lelo Coimbra (PMDB-ES), líder da maioria na Câmara

18h30 – deputado Rogerio Peninha Mendonça (PMDB-SC)

19h – deputado José Priante (PMDB-PA)

19h30 – deputado Aníbal Gomes (PMDB-CE)

20h – deputado Alfredo Kaefer (PSL-PR)

20h30 – deputado Átila Lins (PSD-AM)

21h – deputado Darcísio Perondi (PMDB-RS) e deputado Sinval Malheiros(PODE-SP)

21h30 – deputado Roberto de Lucena (PV-SP)

(Com Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Amaury Feitosa

    tem certeza sim sabe perfeitamente que existem mais de 172 canalhas por lá … tem nenhuma dúvida.

    Curtir

  2. Não é “Temer entrega defesa” e sim “Temer entregará defesa”. Amanhã é FUTURO e entrega é PRESENTE. Ninguém mais sabe falar corretamente nesse país!!! Esse erro não pode ser cometido por quem trabalha com informação, com a palavra escrita. Lixo de editores, revisores, ou pastores….tanto faz!!! O povo não sabe nem falar, por isso vivemos num país de mmm…

    Curtir

  3. que ponto chegamos, o presidente da república envolvido com ladrões do dinheiro público, verdadeiros terroristas, que matam nossas crianças de fome, miséria, com os roubos bilionários, foi pego em uma gravação inclusive dando conselhos ao larápio terrorista, e ainda quer se defender, vai embora Temer deixe esta nação em paz, vá se defender do indefensável, nossas crianças merecem um futuro melhor… nos deixe em paz, precisamos ter a pena de morte pra crime hediondo e terrorismo, urgente neste país…

    Curtir

  4. ADRIANOVIAJANTE007

    O pior presidente que tivemos até agora…

    Curtir

  5. Francisco Jose

    Denis – SBC 04 jul 2017 – 11h34
    Não é “Temer entrega defesa” e sim “Temer entregará defesa”. Amanhã é FUTURO e entrega é PRESENTE.
    Vamos Fazer o Certo e Escrever Direito !!!
    Esse erro não pode ser cometido por quem trabalha com informação, com a palavra escrita.

    Curtir

  6. Nelson Marques

    Como pode um presidente envolvido em corrupção, ter o direito de se reunir com as pessoas que irão julgá-lo, para traçar um plano de arquivamento do processo. Isso não é obstrução? Onde está a justiça para proibir estes encontros, ou impedir que estes componham a CCJ? Vergonha e desmoralização total.

    Curtir

  7. reinaldo ruiz

    Esse marins desqualificando P.F. ele é o desqualificado, a nossa Policia Federal e tão capacitada na análise da fita quanto a Cia, Interpol, Mossad e mesmo o MI6 e esse abestalhado, babaca imoral AP.F. deveria poder prender esses que atacam as entidades publicas de valor ao defenderem corruptos.

    Curtir