STF: prisão em segunda instância vale para todos os casos

Votação aconteceu por meio do plenário virtual na noite desta quinta-feira. A decisão foi aprovada por 6 votos a 4

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu em votação no plenário virtual, nesta quinta-feira, que os réus condenados em segunda instância podem ser presos mesmo que ainda tenham recursos pendentes na Justiça. Por 6 votos favoráveis e  4 contrários, os ministros decidiram estender a orientação a todas as instâncias do Judiciário.

As duas ações que voltaram a ser julgadas pelo STF foram apresentadas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e pelo Partido Ecológico Nacional (PEN) com a alegação de que ninguém pode ser considerado culpado, nem preso, até o trânsito em julgado da sentença penal condenatória, considerando-se o princípio de presunção da inocência. 

LEIA TAMBÉM:
STF retoma julgamento sobre prisão em segunda instância
Contra impunidade, STF mantém prisão na 2ª instância

Em outubro, o Supremo já havia confirmado, por 6 votos a 5, que a execução das penalidades pode ser feita já na segunda instância, sem depender trânsito em julgado. Na época, o ministro Luiz Fux resumiu: “Estamos discutindo isso porque no Brasil as condenações são postergadas com recursos aventureiros, por força de recursos impeditivos do trânsito em julgado”.

Votaram a favor da prisão em segunda instância os  ministros Teori Zavascki, Edson Fachin, Luiz Fux, Gilmar Mendes, Cármen Lúcia e Luís Roberto Barroso. Os ministros Dias Toffoli, Marco Aurélio, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski votaram contra e a ministra Rosa Weber não se manifestou.

“Se de um lado a presunção de inocência juntamente com as demais garantias de defesa devem viabilizar ampla disponibilidade de meios e oportunidades para que o acusado possa intervir no processo crime em detrimento da imputação contra si formulada, de outro, ela não pode esvaziar o sentido público de justiça que o processo penal deve ser minimamente capaz de prover para garantir a sua finalidade última, de pacificação social”, afirmou o ministro Teori, relator do processo, na decisão.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Cesar8002UTB

    OAB sempre querendo os marginais na rua!

    Curtir

  2. Jurandir marques

    Mais uma vez me orgulho em Parabenizar os Ministros do STF, por referendarem tal decisão, só assim, é que floresce no coração dos brasileiros, a esperança de que o Brasil pode dar certo!

    Curtir

  3. José Roberto

    Esses “ministros” petistas anti-povo não falham!

    Curtir

  4. Luiz Carlos Bittencourt

    Sempre os mesmos … será coincidência ??

    Curtir

  5. Vagner Rodrigues

    O que leva uma ministra a simplesmente não votar (Rosa Weber)?

    Curtir