Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

STF: Fachin libera para julgamento denúncia contra Renan

Documento chegou à corte em 2013 Presidente do Senado é acusado de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso em caso envolvendo ex-amante

O ministro Edson Fachin liberou nesta terça-feira para julgamento em plenário a denúncia contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no inquérito envolvendo a ex-amante dele, a jornalista Mônica Veloso. Se a acusação for aceita, o Renan passará a responder ao processo como réu. Ainda não há uma previsão para quando deve acontecer o julgamento. A denúncia chegou a ser liberada para julgamento pelo plenário em fevereiro deste ano, mas o ministro retirou o caso da pauta dias depois. Nesta segunda-feira, VEJA revelou que, em meados de junho, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, requisitou “urgente inclusão do feito na pauta de julgamentos do Plenário do Supremo Tribunal Federal para deliberação acerca do juízo de admissibilidade da acusação”.

Veja também

A investigação remete ao ano de 2007, quando Renan teve de renunciar à cadeira de presidente da Casa para salvar seu mandato. Na época, ele enfrentou cinco denúncias no Conselho de Ética do Senado. A mais devastadora foi feita pela jornalista Mônica Veloso, com quem Renan tem uma filha. Ela revelou a VEJA que o lobista Cláudio Gontijo, da empreiteira Mendes Júnior, entregava a ela pacotes de dinheiro vivo em nome de Renan para custear a pensão alimentícia. Em troca, a empreiteira era beneficiada com emendas parlamentares do senador para tocar obras em Alagoas. Na denúncia, que chegou ao STF em 2013, Renan é acusado de cometer os crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso.

Para tentar sustentar que tinha recursos próprios para custear as despesas, Renan afirmou que investia em gado e que teria obtido lucro espantoso com as transações rurais. Um laudo do Instituto de Criminalística da Polícia Federal apontou, entretanto, que os resultados dessas transações eram fictícios. As investigações também concluíram que os documentos apresentados por Renan eram forjados. Em suma, ele não tinha recursos para pagar 16.500 mensais de pensão.

Veja também

De acordo com a denúncia, Renan também desviou recursos da verba indenizatória do Senado, destinada a arcar com gastos referentes ao mandato, como aluguel de escritório, gasolina e passagens aéreas. Nesse caso, o dinheiro do Senado era destinado a uma locadora de carros, cujo dono é apontado como laranja de Renan. O peemedebista também enfrentou outras acusações na época, como possuir rádios em nome de laranjas, beneficiar a cervejaria Schincariol, cobrar propina em ministérios comandados pelo PMDB e até espionagem contra parlamentares adversários.

O presidente do Senado Renan Calheiros está entre os políticos recordistas de inquéritos da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). A lista de investigações envolvendo o parlamentar está acima da média: até o momento, há ao menos oito procedimentos em curso, que apuram de corrupção a lavagem de dinheiro. Em junho, a PGR pediu a prisão de Renan e outros integrantes da alta cúpula do PMDB por tramarem contra a Lava-Jato, baseada em gravações feitas por Sérgio Machado, apaniguado do parlamentar alagoano na presidência da estatal Transpetro. Em sua última edição, VEJA revelou que o empresário e advogado cearense Felipe Rocha Parente, apontado por Machado como a pessoa responsável por entregar dinheiro vivo a integrantes do PMDB, fechou um acordo de delação premiada. Em sua colaboração, o “homem da mala” confirmou que distribuía propinas destinadas ao presidente do Congresso Renan Calheiros e ao senador Jader Barbalho (PMDB-PA). Os dois parlamentares negam as acusações.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. jose milton mascarim

    JM, não sei qual a sua surpresa ao presidente do Senado.
    O ex-presidente da República e o ex-presidente da Câmara não são réus no MPF?
    Então…

    Curtir

  2. jose jorge rodrigues lopes

    Como disse iozy: comparsas.
    Supremo tribunal fedorento.

    Curtir

  3. Francisco Noronha

    Sabe quando Renan vai ser coibido pelo pseudo tribunal (STF)?
    Que tribunal?
    Existe esta côrte no Brasil?
    É só fachada, o STF!
    Engana Brasil!!

    Curtir

  4. adson miranda de almeida

    está chegando o dia do Renan. ele está nas mãos da justiça.

    Curtir

  5. Mas já? O processo só está no STF há três anos e a investigação é de 2007. Não seria preferível ponderar mais alguns anos e depois pedir vista para evitar qualquer suspeita de celeridade?

    Curtir

  6. Marcos Rainho

    Tá mais sujo que pau de galinheiro.

    Curtir

  7. Renan tinha que tomar vergonha na cara e ter a dignidade de renunciar!!!!

    Curtir

  8. GILBERTO ZANDONA

    DEMOROU KKKKK

    Curtir

  9. Luiz Renato Fogagnolo

    É UMA VERGONHA ESSES MINISTROS DO STF DEMORAREM TANTO PARA JULGAR UM PROCESSO COMO ESSE. MAIS VERGONHOSO AINDA É COLOCAR NA PAUTA E DEPOIS RETIRAR, E DEPOIS COLOCAR NOVAMENTE. UMA VERGONHA

    Curtir

  10. Acho mesmo que o lema deles e nos vencer pelo cansaco…. um cansaco sem fim e que no final nao vai dar em nada mesmo. Esse e o maravilhoso sistema judiciario e politico no Brasil, numa simbiose interminavel.

    Curtir