PSDB muda estratégia no 2º turno para evitar os erros de 2006

Na disputa presidencial de 2006, os tucanos decidiram atrasar por onze dias a campanha na TV. Avaliam, agora, que a decisão foi um erro estratégico

O PSDB não quer cometer neste segundo turno os mesmos erros estratégicos da disputa presidencial de 2006, quando Geraldo Alckmin perdeu para Luiz Inácio Lula da Silva. O comando da campanha do candidato tucano José Serra decidiu que o horário eleitoral deve recomeçar ainda nesta semana – sem atrasos, como houve há quatro anos. Conforme revela a coluna Radar On-line, de Lauro Jardim, José Serra começa a gravar ainda nesta terça o seu programa eleitoral de TV para o segundo turno.

A legislação eleitoral autoriza que a campanha em rádio e televisão comece 48 horas após a homologação do resultado da disputa – o que deve ocorrer nesta terça-feira, em sessão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) -, o dia específico, no entanto, deve ser acordado entre as campanhas. O PSDB considera quinta-feira como boa data para estrear os novos programas no horário eleitoral gratuito.

Na disputa presidencial de 2006, os tucanos decidiram atrasar por onze dias a campanha na TV. Avaliam, agora, que a decisão foi um erro estratégico, uma vez que nesse período começou a circular o boato de que o então candidato Geraldo Alckmin faria privatizações de empresas estatais. A demora para colocar no ar os programas no horário eleitoral na TV teria dificultado uma resposta aos ataques.

O comando da campanha do PSDB ainda discutia na segunda-feira como deveria ser a estrutura dos programas eleitorais do segundo turno. Um diagnóstico que já circula entre os tucanos é o de que os filmes devem ser “territorializados”.

Isso significa que os programas devem tratar de assuntos que sejam mais próximos das pessoas, criando assim identificação forte entre eleitor e propaganda. O desafio, nesse caso, é não tornar o programa conceitualmente pequeno, já que se trata de filme para vender um candidato nacional.

(Com Agência Estado)