Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PSDB articulou urgência de pacote anticorrupção

Aécio Neves (PSDB-MG) foi o primeiro a articular urgência da votação e seu partido prometeu votos no requerimento, mas não cumpriu ao perceber que perderia

Nenhum senador do PSDB votou a favor da manobra para acelerar a votação do pacote anticorrupção no Senado. O resultado da votação, entretanto, disfarça os acordos costurados ao longo da tarde de quarta-feira. Interlocutores que participaram das reuniões garantem: Aécio Neves (MG) foi o primeiro a articular a urgência da votação e o PSDB prometeu votos no requerimento, mas não cumpriu.

Presidente do PSDB, Aécio trabalhou ao longo da tarde para costurar o acordo, que foi fechado com lideranças do PMDB, PT, PSD, PP e PTC. O tucano foi o principal articulador do pedido de urgência, afirmam fontes. Se fosse aprovado o requerimento, o senador Roberto Requião (PMDB-PR), que é relator do abuso de autoridade, assumiria também o pacote anticorrupção para apresentar parecer favorável a todas as modificações feitas na Câmara. De acordo com o Ministério Público, o projeto foi desvirtuado pelos deputados.

Leia também:

Em nota, a liderança do PSDB no Senado afirmou que são “falsas as versões” de que o tucano agiu para acelerar a votação. “Sobre falsas versões que vêm sendo difundidas sobre a votação de ontem à noite no Senado, o PSDB informa que o senador Aécio Neves, consultado sobre a votação, reuniu a bancada do PSDB que se posicionou contra o caráter de urgência, decisão manifestada unanimemente pelo partido na votação”, diz o texto assinado pelo líder do partido no Senado, Paulo Bauer.

Na noite desta quarta-feira, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), conduziu a manobra. O peemedebista, que não costuma perder votações e, quando observa clima desfavorável, prefere suspendê-las, acabou derrotado por 44 votos a 14.

À primeira vista, Renan pareceu sozinho em sua articulação. Mas, na realidade, líderes que participaram do acordo acabaram desistindo diante da reação do plenário. Renan insistiu na votação porque confiou no acordo firmado mais cedo. Senadores que estiveram em um jantar natalino na casa de Eunício Oliveira (PMDB-CE) após a votação relataram que houve constrangimento entre aqueles que prometeram o voto, mas não entregaram.

Reação

A estratégia era que o requerimento fosse votado sem alarde. Ao dar início à votação, Renan não mencionou do que se tratava. O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP), ciente da manobra – e contrário à ela –, pediu que o conteúdo do requerimento fosse esclarecido.

Ao saberem que se tratava de pedido de urgência para o pacote anticorrupção, muitos senadores se voltaram contra a iniciativa. A reação do plenário não deixou outra alternativa aos articuladores da manobra se não abandonar a estratégia.

Senadores que participaram do acordo criticaram os líderes do PMDB, Eunício Oliveira (CE) e do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), que nem sequer estiveram presentes na votação para garantir a estratégia firmada. O líder do PSD, Omar Aziz (AC), que assinou o requerimento de urgência, também não estava no plenário no momento da votação.

As maiores críticas, entretanto, recaíram sobre o PSDB. De acordo com um dos senadores que participou das reuniões para a manobra, a bancada tucana foi orientada a votar fechada contra o requerimento de urgência quando Aécio notou que iria perder. Desta forma, o partido sairia insuspeito.

Leia mais:

A assessoria do senador Aécio Neves negou que ele tenha participado de qualquer reunião para tratar do assunto. Renan Calheiros, por sua vez, argumenta que não é autor do requerimento de urgência e que apenas cumpriu seu papel, como presidente do Senado, de colocar a proposta em votação.

O senador Romero Jucá disse desconhecer qualquer articulação para acelerar o pacote anticorrupção e afirmou que estava no Palácio do Planalto no momento da discussão, razão pela qual também não participou da votação. Jucá chegou ao plenário já no fim dos desentendimentos.

O senador Omar Aziz, que assinou o pedido de urgência, afirmou que participou de reuniões para tratar do assunto, mas que a vontade do plenário é soberana. Ele avalia que, apesar da tentativa de urgência, a resolução final da questão foi a melhor possível e que agora o pacote vai tramitar com tranquilidade pelas comissões do Senado.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. housekeeping

    alô Alckmin, alô Temer favor se manifestarem qual é a posição de voces sobre as 10 medidas contra a corrupção, o que fez a Camara e o que tentou fazer o Renan; alô Alckmin, alô Temer qual é a posição de voces, são contra ou a favor do que fez a camara e o Renan? vamos guardar isso pra proxima eleição, o que pensam ou seu silencio.

    Curtir

  2. Como confiar nessa corja?

    Curtir

  3. A impressão que fica é que a condição indispensável para ser político é o total desprezo pela decência. Voto nos candidatos do PSDB pois são os menos ruins, mas distantes do perfil desejado pela população!

    Curtir

  4. Robson La Luna Di Cola

    Há vários anos venho dizendo que provavelmente o “preibói cheradô”, como dizem os PTistas, está comprometido com atos ilícitos, que o PT provavelmente conhecia. Somente isso explicaria o bom-mocismo do minerim bonzim – Aécio Neves durante sua campanha política. Inclusive o RA deletava minhas mensagens quando eu levantava estas hipóteses…

    Curtir

  5. Severino de Araújo Ferreira

    Na atual conjuntura só podemos confiar no Judiciário, no Ministério Público e na Polícia Federal. Não resta um político dentre os “medalhões da política” que mereçam confiança. O Temer é fraco, Aécio não inspira confiança, o Alckimin é fraco, Marina perdeu o rumo. Resta José Serra como um político viável para 2018. Essa incerteza afeta fortemente os mercados e afasta o investidor.

    Curtir

  6. Fanck Everton

    Vergonhoso… Pior é que vi duas pessoas alienadas tentando tirar o mérito da matéria, defendendo ladrão kkkk… parecendo acéfalos igual os Ptralhas. Doa quem doer, corruptos tem que se ferrar

    Curtir

  7. Luis Carlos Pereira

    se tivesse uma justiça imparcial, essa quadrilha do PSDB, já estariam na cadeia a muito tempo

    Curtir

  8. Franklin de Paula

    PSDB, PT, PMDB, PP etc… sâo sócios. Cambada de pilantras. Farinha de igual saco.

    Curtir

  9. Ney Gercey L. Barbosa

    Aecio Neves é a maior frustração da política brasileira! Seu avô se envergonharia de ver essas manobras rasteiras do neto. Toma vergonha na cara, Aecio.

    Curtir

  10. A URGÊNCIA em colocar em votação o pacote ANTICORRUPÇÃO pelo SENADO, CREDITAR ÚNICA E EXCLUSIVAMENTE A RENAN CALHEIROS..Tanto é só olhar quem votou a favor do pacote..O P.S.D.B. votou em peso contra….Falar que AÉCIO foi a favor; é TEORIA de CONSPIRAÇÃO….

    Curtir