Promotor investiga se Rocha Loures ‘furou a fila’ da tornozeleira

MP afirma que governo goiano preteriu detentos do Estado para ceder equipamento para o político; órgão responsável nega e diz ter aparelho em estoque

O Ministério Público de Goiás abriu um inquérito para investigar se o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) foi beneficiado ao receber a tornozeleira eletrônica no sábado e retornar para a sua casa em Brasília para cumprir prisão domiciliar. Na sexta-feira, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin determinou a soltura do ex-assessor de Temer, que foi filmado após receber mala com 500.000 reais de um executivo e delator da  JBS.

Segundo o promotor Frenando Krebs, o ex-deputado estava sob responsabilidade do sistema prisional do Distrito Federal, mas recebeu de um servidor público o equipamento retirado do estoque do governo goiano, que sofre com a falta das tornozeleiras, existindo, inclusive, uma fila de espera para a obtenção dos aparelhos.

“A concessão do aparelho de monitoramento para beneficiar um preso de outra unidade da Federação não seria ilegal se o equipamento estivesse sobrando. Contudo, o Estado não tem estoque suficiente para suprir suas demandas, então, não haveria justificativa plausível para a concessão da tornozeleira a um preso que não faz parte do sistema penitenciário goiano e que não está na fila de espera para obter o aparelho”, afirma o promotor.

A Superintendência Executiva de Administração Penitenciária (Seap) de Goiás negou que o ex-deputado tenha sido privilegiado. “O equipamento estava disponível e foi cedido pelo Estado por solicitação do Depen [Departamento Penitenciário Nacional]”, afirma, em nota.  

O órgão informou também que abriu um processo de licitação para a compra de outras 5.000 tornozeleiras para o Estado. “Sobre o equipamento emprestado ao Distrito Federal destinado ao monitoramento do ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, a Seap ressalta que Goiás e DF trabalham em parceria em diversas circunstâncias e, sempre que é preciso, cooperam entre si.”

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Tá faltando algum serviço para esse promotor preencher seu tempo…

    Curtir

  2. QUERO ESTAR NA MÍDIA

    Curtir

  3. everton pereira

    Tá faltando os militares passar esse brasil a limpo.

    Curtir

  4. odailton pereira de negreiros

    Intervenção militar já! !!

    Curtir

  5. Claro que ele tem o direito de furar a fila de concessão de tornozeleiras, afinal ele é amigo e braço direito do presidente Temer e certamente irá assumir sozinho a propina de R$500 mil, o PSDB e os demais partidos que têm o rabo preso darão o apoio necessário para que todas as investigações, assim como as CPI’s terminem em pizza. VIVA A DEMOCRACIA!

    Curtir