Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Picciani confirma Pedro Paulo como candidato à prefeitura do Rio

VEJA revelou em outubro que o secretário municipal de Coordenação de Governo do Rio de Janeiro agrediu a ex-mulher em 2010

O presidente do PMDB-RJ, Jorge Picciani, confirmou nesta segunda-feira que o secretário municipal de Coordenação de Governo, Pedro Paulo Carvalho, será o candidato à sucessão do prefeito Eduardo Paes. A candidatura do secretário estava em xeque desde que VEJA revelou, em outubro de 2015, os casos de agressões e ameaças de Pedro Paulo à ex-mulher, Alexandra Marcondes, denunciados por ela em registros policiais.

Padrinho político de Pedro Paulo, Paes sempre disse que não haveria mudanças nos planos de lançá-lo como candidato, o que foi confirmado por Picciani. “A decisão sobre a candidatura de Pedro Paulo não é só do Eduardo Paes, mas de todo o partido. Pedro Paulo vai enfrentar e submeter o nome ao julgamento popular”, afirmou o presidente peemedebista.

LEIA TAMBÉM:

A mancha no currículo de Pedro Paulo

Caso Pedro Paulo: bateu, sim. E não foi a primeira vez…

Pedro Paulo assume mais uma agressão contra ex-mulher

A primeira queixa de Alexandra contra Pedro Paulo foi registrada em fevereiro de 2010, às vésperas da separação do casal. Ela disse ter sido agredida com socos e chutes depois de descobrir uma traição do ex-marido. Embora um laudo do Instituto Médico Legal (IML) publicado por VEJA constatasse que Alexandra teve um dente quebrado, a ex-mulher de Pedro Paulo inicialmente disse que havia mentido e negou ter sido agredida pelo secretário.

Depois de o pupilo de Paes passar semanas negando a revelação feita por VEJA, veio à tona outro caso de agressão, que aconteceu na Noite de Natal de 2008, em São Paulo. Neste dia, Pedro Paulo bateu na então companheira com socos no rosto na frente da filha de 2 anos do casal.

Alexandra, depois, confirmou as agressões. Em entrevista ao lado da ex-mulher, em novembro, o secretário minimizou as agressões, classificadas por ele como problema de família já superado. “A gente não tira a gravidade nem a importância do fato, cabe a ele responder. O homem público está sempre sujeito ao julgamento popular. Pedro está plenamente preparado para governar a cidade.”, disse Picciani.

Além de Pedro Paulo, estão entre os pré-candidatos à prefeitura da capital o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), o deputado federal Alessandro Molon (Rede) e o senador Marcelo Crivella (PRB). O PSD poderá entrar na disputa com o deputado Indio da Costa. O PSDB também defende candidatura própria na capital e está em busca de um nome.

(Com Estadão Conteúdo)