Parlamentares pedem apuração sobre liberação de emendas por Temer

Representação deve ser entregue nesta segunda à Procuradoria-Geral da República para investigar a liberação de verbas a deputados da CCJ

Os deputados Alessandro Molon (Rede-RJ) e Aliel Machado (Rede-PR) e o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) deverão entregar à Procuradoria-Geral da República (PGR), na tarde desta segunda-feira uma representação contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Eles pedirão que a PGR investigue a liberação de emendas para deputados da base governista no contexto da votação da admissibilidade da denúncia na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados.

O documento foi elaborado com base em um levantamento feito pela assessoria de Alessandro Molon sobre as emendas liberadas.

“Queremos impedir que Temer continue usando dinheiro público para obstruir a Justiça e permanecer impune com a ajuda do Congresso. Além disso, queremos impedir que serviços essenciais sejam prejudicados por causa dessas manobras ilegais e irresponsáveis do governo”, afirmou o deputado.

Conforme levantamento do jornal O Estado de S. Paulo publicado neste domingo, dos quarenta deputados que votaram pela rejeição do parecer que recomendava a abertura de investigação contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, 39 tiveram 266 milhões de reais em emendas parlamentares empenhadas, de acordo com valores atualizados. Esse valor corresponde ao período entre junho, após a divulgação da delação do empresário Joesley Batista, que foi usada na denúncia contra Temer, e as duas primeiras semanas deste mês, às vésperas da votação.

As trocas feitas pelo governo na CCJ da Câmara, antes da votação da denúncia, também ajudaram a elevar o valor desembolsado. Os catorze deputados que se tornaram titulares do colegiado da Casa com ajuda do Palácio do Planalto receberam mais de 106 milhões de reais em recursos. No entanto, dois deles contrariaram o governo e votaram pela admissibilidade da denúncia: Renata Abreu (Podemos-SP) e Laércio Oliveira (SD-SE).

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Carlos Alberto Baccelli

    Que interessante! Quando do processo da Dilma eles se acovardaram e nada fizeram. O que será que aconteceu? Até quando teremos que aguentar ações de nanicos?

    Curtir

  2. José Carlos Pires Monteiro

    Esse pessoal da tal rede junto com os do psol são um bando de asquerosos idiotas e imbecis. O Governo que eles defenderam durante muitos anos fizeram muito pior do que isso e eles estavam com a língua enfiada no trazeiro. Criaram um monte de Ministérios que não serviam para nada, criaram milhares de cargos de confiança para alojar os companheiros, compraram a maior parte dos políticos do Congresso para terem ampla maioria durante anos e no fim ainda acabaram com a Petrobrás e outras estatais metendo a mão nos seus cofres. E agora esses nanicos vem recorrer contra a coisa que mais acontece e legalmente dentro da Câmara principalmente? E recorreram a quem? A PGR que é onde se encontra o QG das manobras contra o atual Governo. Uma carrada de estrume dentro do mesmo saco.

    Curtir

  3. Nelson Carvalho

    Tudo farinha do mesmo saco. Por isso que o país não consegue sair da lama. E o povo voto nestas pragas.

    Curtir

  4. José Santos

    Um governo que tem essa oposição tem muita sorte. De extremado radicalismo, considera-se depositária de todas as virtudes do País. Ninguém mais pode acrescentar coisa alguma por mais óbvia que seja. Não enxergou a monumental roubalheira petista, mesmo por que participou dela. O expediente da CCJ é condenável? Totalmente. Nada, porém, tão fétida que seu delicado olfato não tenha sentido.

    Curtir

  5. Alex Sandro Silva

    O Molon é uma piada. Foi a favor da Dilma, mas é contra o Temer. Ou seja, tem bandido de estimação. Faz essa cara de fodástico, mas é um molenga que levou uma surra na eleição da prefeitura do Rio, isto é, uma prévia a qual diz que provavelmente não será reeleito. Molão, com sorte o seu destino é ser vereador.

    Curtir

  6. Cristina Costa

    Esse Molon, topetinho grisalho é o novo palyboy palatável da Esquerda do Leblon… não faz outra coisa a são ser judicializar … patético.

    Curtir

  7. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Os mesmos esquerdinhas de sempre. Nada produzem e o que fazem diariamente é judicializar tudo.

    Curtir

  8. Ataíde Jorge de Oliveira

    MoLLoN & RanDöLf
    Randolfe & MöLLöN
    Precisa Dizer : MAï$

    Curtir

  9. Sergio Cihgral

    Qual é a diferença entre o “presidencialismo de cooptação” e a corrupção entre governantes e empresários? Em ambos os casos o dinheiro do povo é usado para enriquecer a ambos e manter os governantes no poder. São dois comportamentos inerentes à existência da “democracia brasileira”, tão decantada pela mídia. Já passou do tempo de mudar este sistema.

    Curtir

  10. Palmelo News

    Bolsonaro 2018

    Curtir