Oposição quer ouvir Gurgel sobre caso Palocci

Partidos oposicionistas vão pedir que procurador-geral compareça ao Congresso para justificar engavetamento de investigação contra ministro

O líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP), havia anunciado que a oposição recorreria ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) para declarar suspeito o procurador-geral Roberto Gurgel, que arquivou o pedido de investigação do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci. Mas, em reunião nesta terça-feira, as lideranças do bloco oposicionista optaram por um caminho menos traumático: vão pedir que o procurador compareça ao Congresso para explicar sua decisão.

Além disso, os oposicionistas vão recorrer ao Ministério Público Estadual e o Ministério Público Federal de São Paulo, pedindo que seja apurada a denúncia de VEJA de que o ministro usa, em São Paulo, um apartamento registrado por uma empresa fantasma em nome de um laranja. E também querem que os promotores investiguem os valores movimentados pela empresa de Palocci em 2010.

PSDB, DEM e PPS prometem manter a carga contra Palocci, mesmo após o engavetamento do caso por Roberto Gurgel. Os partidos continuam recolhendo assinaturas para a criação de uma Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI). Nesta terça-feira, mais dois senadores endossaram o pedido: Cristovam Buarque (PDT-DF) e Pedro Taques (PDT-MT). Com isso, faltam cinco assinaturas para as 27 necessárias no Senado. Na Câmara, a situação é mais difícil: a oposição tem pouco mais de 100 das 171 adesõs necessárias.

Leia também:

Leia também: Apartamento em que Palocci mora pertence a empresa de fachada, em nome de um laranja

Assista à entrevista em vídeo com o comerciário Dayvini Costa Nunes, dono do apartamento onde vive de aluguel o ministro da Casa Civil