Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Não vejo problema’, diz juiz que prendeu Garotinho em rádio

Magistrado defende impedimento a ex-governador de se manifestar publicamente e chama de “vitimização” o protesto por detê-lo enquanto apresentava programa

O juiz Ralph Manhães tornou-se personagem relevante na política fluminense esta semana ao mandar prender o ex-governador Anthony Garotinho por corrupção eleitoral. Menos pelo fato – ele já havia sido detido uma vez em novembro do ano passado -, mais pelas circunstâncias. Na última quarta-feira, Garotinho foi levado por agentes da Polícia Federal durante o seu programa na Rádio Tupi para cumprir um mandado de prisão domiciliar em sua residência em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense. O enredo tornou-se a ainda mais inusitado porque o locutor que imediatamente substituiu o ex-governador no ar teve que inventar uma história para os ouvintes: “Ele até tentou, mas a voz foi embora. Orientação médica é que pare de falar”, explicou o novo âncora. Em entrevista a VEJA, o juiz Manhães apresenta as justificativas para as medidas que adotou: além de condenar Garotinho a nove anos e 11 meses de prisão e colocá-lo com uma tornozeleira eletrônica, o magistrado autorizou o contato do político apenas com advogados e familiares. Falar em programa de rádio ou escrever em blog, nem pensar. Abaixo os principais trechos da conversa:

Quais as razões para condenar Garotinho e, logo depois, determinar uma medida cautelar de prisão domiciliar? Quem me critica provavelmente não leu as 236 páginas da minha sentença. Trato de corrupção eleitoral, formação de quadrilha e supressão de documentos públicos de forma robusta. Tenho mais de cem depoimentos que mostram como a prefeitura de Campos (comandada por Rosinha Garotinho, mulher do ex-governador) usou o programa Cheque Cidadão, uma espécie de Bolsa Família, para comprar votos. Tenho laudo da Polícia Federal que mostra como documentos foram apagados.  Com a proximidade das eleições municipais de 2016, quando Garotinho tentaria eleger um aliado, houve aumento de beneficiários do programa de 14 000 para 31 000 famílias. Entendi que era importante determinar a medida cautelar porque várias testemunhas deste processo tem sido coagidas ao longo dos últimos meses. Não ia passar por cima do STF que entende que a questão da prisão só deve ser cumprida após segunda instância, mas entendo que é importante a permanência de Garotinho em casa.

A família Garotinho insinua que a sua decisão tem a ver com o fato do ex-governador fazer acusações contra o desembargador Luiz Zveiter…  É teoria da conspiração. Só vi Zveiter duas ou três vezes na vida. Me baseio em fatos apenas e esse discurso dele é o da vitimização.

Qual a necessidade de prendê-lo durante o programa de rádio? A forma de cumprimento do mandado cabe à Polícia Federal, não a mim. Agora, honestamente não vejo problemas no que aconteceu. É indiferente se o réu foi encontrado em casa, numa obra, escritório ou emissora de rádio. Não cabe criar regras e dizer que tal lugar pode, tal lugar não pode. Se por acaso ele ficasse dez horas no ar naquele dia, por acaso os agentes teriam que esperar tudo isso para cumprir o mandado?

E por que impedi-lo de dar entrevistas e escrever no blog? Por dois motivos: 1) ele usa a internet para intimidar autoridades. Uma coisa é a liberdade de expressão. Outra é ficar caluniando as pessoas. 2) presos não podem se comunicar com o mundo exterior. Veja que Sérgio Cabral e Adriana Ancelmo estão na mesma situação. Condenado pelo mensalão, Roberto Jefferson no passado também quis dar entrevistas preso e não conseguiu.

Marcinho VP e Nem da Rocinha, dois chefões do tráfico, deram entrevistas de dentro da cadeia para livros recentes… Não vou me manifestar sobre fatos que não conheço, mas certamente houve estipulação de várias regras para que eles pudessem falar. O certo é que pessoas detidas não falem. Prisão é segregação e isso está previsto em lei.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Antonio Pedro

    Juiz sensato!

    Curtir

  2. Julio Cesar Paes

    já existe o “bolsa familia” agora a oligarquia desse individuo criou o “cheque cidadão” … pra que ?
    se já tem o bolsa ?! tá na cara que o esquema avança. ajudar o pobre é dar trabalho/emprego educação saude segurança …

    Curtir

  3. Chaparral Chaparral

    “Hoje em dia é preciso mais coragem para absolver um inocente do que para tirar a liberdade de alguém”, critica Sebastião Reis, ministro do STJ, que condena a onda punitivista no Brasil e os juízes do “tapete vernelho”, que utilizam processos penais para se transformar em celebridades

    Curtir

  4. Na verdade achei muito branda a sentença de prisao domiciliar… GAROTINHO que ja foi condenado em primeira instancia como CHEFE DE QUADRILHA ARMADA e agora como CHEFAO DA COMPRA DE VOTOS, esta em casa, numa boa, com todo o conforto e duvido que nao tenha internet e nem telefone… com certeza tem e claro deve ser do filho, da filha, da rosinha enfim de quem o cerca…

    Entao GAROTINHO BANDIDAO COMO É, e que so nesse caso consumiu com mais de R$ 11 milhoes dos cofres municipais e o melhor a sentença nao o obriga a pagar tal montante…

    GAROTINHO MERECE E FICAR NA CADEIA PRO RESTO DE SUAS VIDAS….isso sim !

    Curtir