Maia diz que não adiará votação de denúncia contra Temer

Para denúncia ser encaminhada ao STF, são necessários 342 votos contrários ao relatório do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG)

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse neste sábado que não irá protelar a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) no plenário caso não seja atingido o quórum de 342 deputados no dia 2 de agosto. A afirmação foi dada ao blog da jornalista Andréia Sadi, do portal G1.

Maia afirmou que vai aplicar falta aos deputados que estiverem ausentes na sessão e que, caso não haja quórum, pautará a votação novamente para o mês de agosto até que a quantidade necessária de parlamentares seja atingida.

“A expectativa deste assunto precisa ter fim ainda em agosto. O quórum precisa ser elevado. Se não tiver quórum no dia 2, vou repautar ainda em agosto. Mais para o meio de agosto do que para o fim, até porque ninguém quer esta situação. Não podemos deixar o governo nessa situação, pendurado”, disse Maia. 

Contrário à aceitação da acusação contra o peemedebista,o texto do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) foi aprovado na Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Câmara por 41 votos a 24, após o relatório de Sergio Zveiter (PMDB-RJ), favorável à denúncia da Procuradoria-Geral da Repúblicaser derrotado por 40 votos a 25.  Para que a Casa autorize o encaminhamento da denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF), são necessários 342 votos contrários ao parecer de Paulo Abi-Ackel.