Lula volta a citar Dilma em evento oficial

Desta vez, a declaração foi feita na frente do presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski

Indagado sobre se estaria desafiando as leis eleitorais brasileiras, o presidente respondeu: “Não tenho o hábito de desafiar nem o mais humilde dos brasileiros, quanto mais a legislação”

A pretexto de se desculpar por ter citado a ex-ministra Dilma Rousseff, candidata do PT à Presidência da República, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a elogiá-la esta tarde num evento oficial. Desta vez, era observado de perto pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Ricardo Lewandowski, presente à cerimônia no Itamaraty.

Lula afirmou que, provavelmente, cometeu uma falha ao citar Dilma Rousseff, na última quarta-feira, durante evento de lançamento do projeto do trem-bala, o que não é permitido pela legislação. Ao explicar-se, no entanto, o presidente reincidiu no erro. “É que fiquei com a obrigação moral de dizer que quem começou o trem-bala foi a companheira Dilma”, disse. “Foi ela que começou, trabalhou, organizou …”, disse, durante cerimônia realizada esta tarde no Itamaraty para fechar acordos bilaterais com a União Europeia. Lula disse que queria aproveitar o momento para pedir desculpas, caso tenha cometido um erro político.

Indagado sobre se estaria desafiando as leis eleitorais brasileiras, o presidente respondeu: “Não tenho o hábito de desafiar nem o mais humilde dos brasileiros, quanto mais a legislação”.

Lula enfatizou o grande interesse de investidores estrangeiros de participar do processo de licitação do trem-bala. “Quando vier assistir à Copa do Mundo poderá andar em um pedaço do trem-bala”, disse ao presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, que estava ao seu lado. Em seguida, Lula citou todos os eventos esportivos de grande porte que serão sediados no País de 2011 a 2016. “E em 2017, o Brasil será a quinta maior economia do mundo”.

(Com Agência Estado)