Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lula ataca Moro ao relembrar grampos telefônicos

Ex-presidente depôs por cerca de cinco horas na Justiça Federal de Curitiba; interceptações tiveram sigilo levantado em março de 2016

Em depoimento ao juiz federal Sergio Moro, que conduz os processos da Operação Lava Jato em primeira instância, na tarde desta quarta-feira, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva usou o grampo de conversas de sua mulher, Marisa Letícia Lula da Silva, morta em fevereiro, e seus filhos para atacar o juiz e falar sobre vazamentos à imprensa.

“O senhor sem querer, talvez, entrou nesse processo (de vazamentos), sabe por quê? Porque o vazamento de conversas da minha mulher com meus filhos foi o senhor quem autorizou”, afirmou o ex-presidente. Na ocasião, os áudios interceptados pela Lava Jato estavam nos autos do processo e tiveram o sigilo levantado em março de 2016. Além da conversa de Marisa com o filho Fábio Luís, o Lulinha, a Polícia Federal também grampeou o ex-presidente em diversas conversas, entre elas, com a ex-presidente Dilma Rousseff, na qual a petista diz que encaminhará a ele um “termo de posse”, a ser usado “em caso de necessidade”.

Ao se referir a condução coercitiva em março de 2016, Lula afirmou que nunca foi convidado para uma audiência. “Eu não tinha o direito de ter minha casa molestada sem que eu fosse intimado para uma audiência. Ninguém nunca me convidou e, de repente, eu vejo um pelotão da Polícia Federal. Quando eu saí, levantaram até o colchão da minha casa achando que eu tinha dinheiro, Doutor”, disse Lula.

Nas chamadas considerações finais, Lula afirmou, mais uma vez, que era vítima “da maior caçada a um político brasileiro”. Ao longo das cinco horas de audiência, Lula respondeu as perguntas de Moro e dos procuradores do Ministério Público Federal (MPF). Ele atribuiu à Marisa Letícia a intenção de compra do tríplex no edifício Solaris, no Guarujá, litoral de São Paulo.

Lula afirmou também que vem sendo “julgado” pela imprensa e que se houver absolvição os ataques se voltarão ao juiz Moro. “Esses mesmo que me atacam hoje, se tiverem sinais de que eu serei absolvido, prepare-se que os ataques ao senhor serão muitos mais fortes”, afirmou. Moro, no entanto, afirmou que órgãos de imprensa não têm papel no julgamento desse processo e contou que também é atacado por blogs.

“Senhor presidente, infelizmente, eu já sou atacado por bastante gente, inclusive por blogs que supostamente patrocinam o senhor. Então padeço dos mesmo males que o senhor, em certa medida”, afirmou.

“Meus netos sofrem bullying todo santo dia”

Ainda em suas considerações finais, Lula afirmou que seus netos sofrem bullying “todo santo dia” devido as acusações do MPF que pesam contra ele.

Durante o depoimento, o petista também pediu a Moro para que mandasse a PF devolver os “Ipads dos netos”. “Queria aproveitar, já que o senhor falou dessa coerção, determine que a Polícia Federal devolva os Ipads dos meus netos. É uma vergonha, Ipad de neto de 5 anos está desde março do ano passado…”. Segundo Moro, era só Lula pedir a restituição que os aparelhos eletrônicos seriam devolvidos.

Confira o vídeo com as considerações finais do ex-presidente:

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Nando G Freitas

    Pelo jeito o site terá um novo layout, vermelho. Poderiam ser um pouco imparciais, não citaram as intervenções do Moro.

    Curtir

  2. Num regime democrático, a maioria povo tem o líder que escolheu e, portanto, o únicomerece.
    Triste demonstração de ignorância, soberba, esperteza e desprezo pelas instituições e pela inteligência alheia!

    Curtir