Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Líder do governo reclama de Dilma, e Lula diz que teve uma conversa ‘muito dura’ com ela

Em um dos grampos interceptados pela Lava Jato, Lula conversa com José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara. Os dois falam sobre a CPI do Carf, assunto de interesse de Lula porque um de seus filhos é investigado no caso, e sobre a perspectiva de o ex-presidente assumir um ministério. Guimarães reclama com Lula do estilo de Dilma de governar. O ex-presidente assente – e diz que teve uma “conversa dura” com ela.

LULA: Alô

GUIMARAES: Diga PRESDIENTE.

LULA: Meu líder, tudo bem?!

GUIMARAES: Tudo, “tamo” na guerra.

LULA: A CAMARA tá trabalhando ainda?!

GUIMARAES: Não, hoje já terminou tudo. Não teve muita coisa não.

LULA: Vai voltar o negócio da… da… não voltou o negócio dos ESTADOS?!

GUIMARAES: Não, não , nós seguramos o tal do PDC.

LULA: “uhumm”

GUIMARAES: O tal do PDC seguramos e vai tem uma reunião com NELSON BARBOSA, nós vamos ter segunda-feira no final da tarde. Ver se busca um acordo aí, transferimos tudo. Segunda-feira.

LULA: “uhumm”. Oh, querido como é que tá a situação do EDUARDO CUNHA aí na CAMARA?!

GUIMARAES: Oh, LULA, o problema é o seguinte: ELE tá completamente ilhado ali dentro, tem uma base forte, segurando o processo dele que não tem como se resolver por menos de 90, 120 dias, porque ele tem instrumentos regimentais pra segurar tudo. Tem, tem, tem mantido…a única pessoa que ele ainda conversa pra, pra estabelecer alguma pauta, é comigo, mas isso tá muito atritado, né?! Ele tá numa situação “na dele”. Botando matérias complicadas, porque a oposição também…veja bem, a oposição tá em obstrução total, e ele não quer, evidentemente a CÂMARA em obstrução. E nessas matérias, entrou todas e tudo mais que prejudica o país e o governo, né?! Então tá mais ou menos nessa toada. Nossa preocupação tem sido com alguns líderes pra montar aquele panorama de votos pra evitar qualquer tentativa de impeachment no futuro. Porque a Comissão deverá ser montada na semana que vem. Essa é a minha preocupação, tenho trabalho muito isso, né?! E seguramos também hoje a CPI DO CARF, né, pra não ter problema!

LULA: “uhum”

GUIMARAES: Tenho dialogado bastante com o WAGNER e BERZOINI, mas acho que precisa de mais rapidez nas operações políticas ali.

LULA: “uhum”. Tá bom querido.

GUIMARAES: Acho que, LULA, se você me permita, desde ontem que pessoas falam comigo, sentem essa conjuntura, tudo que tá acontecendo, essa violência de hoje. Tudo isso, acabei de chegar em FORTALEZA, chegando de BRASILIA. Nós estamos aqui na SEDE REGIONAL, da nossa militância (parte ininteligível). Acho que frente a essa conjuntura toda, necessidade de segurar o projeto, SEM VOCE NAO SEGURA. O negócio tá indirigível, não há condições. Nós temos que dar a volta por cima, só dá se você tiver dentro, no dia a dia.

LULA: É, eu tô tentando, tô tentando pensar. Eu converso com muita gente. Não é uma tarefa fácil, viu ô GUIMARAES!? Não é uma coisa simples viu?! Porque pode despertar uma certa ciumeira em partidos da base que, sabe?! Pode achar ” O LULA vem pra cá pra se fortalecer pra ser Presidente, não vamos aceitar nem fodendo!” A imprensa vai fazer uma campanha do caralho.

GUIMARAES: Mas deixa eu te falar, o que eu falei dos partidos da base, falei com PICCIANI , falei com pessoal do PSD, PR e PT.

LULA: “uhum”

GUIMARAES: Esses que eu falei, fora o PT, esses líderes, todos… E, acham que é fundamental, que é fundamental. Porque, LULA, nós temos um problema, o jeito DELA, o estilo, foi muito caracterizadamente como avesso a política, isso ta muito consolidado na CAMARA, e os MINISTROS não tem, ou quase, quando tem é muito diminuta, a autoridade pra, autoridade pra discutir com os parlamentares, e tudo, ne?!

Então não é simples, não!

LULA: Eu sei.

GUIMARAES: Eu convivo ali todo dia, ali dentro. Tudo, eu chego lá domingo a noite, fico de segunda a quinta lá dentro com ELE, com WAGNER, com BERZOINI, mas nao é simples, porque há um problema. Hoje eu tive uma longa conversa com pessoal da FAZENDA, hoje de manhã. Mostrando pra eles, se nao tiver mudanças rápidas e que eu sei que pode ser feito alguma coisa na FAZENDA, “dívida dos ESTADOS”, “Minha casa, minha vida”, questão…tudo isso é muito, eles falam que dependem DELA. Então é muito travado com estilo muito burocrático, muito, muito, enfim, dificulta a rapidez nas decisões, dificulta a rapidez nas ousadias, e fica também podado. Meu limite é muito pequeno.

LULA: Então, mas eu tive uma conversa com ela muito dura, muito dura. Tive uns debates com NELSON BARBOSA, aqui em SAO PAULO. Eu falei pra eles, ó: “gente, tá tudo errado, o discursos de vocês não vai pra frente, vocês querem agradar os inimigos, jogando nosso povo no lixo, porra! Sabe? Tem que falar pro nosso povo”

GUIMARAES: É claro, eu disse pra eles, hoje pro DIOGO, pra ISA (ininteligível), vocês acabem com isso. Primeiro, tão negociando a dívida dos Estados de forma errada, em vez de chamar o nosso povo e tal, fica discutindo com RIO GRANDE DO SUL, com SAO PAULO. Um critério republicano pra todo mundo, tem que ter! Mas não é assim que cabe (interrompido – parte ininteligível)

LULA: Primeiro é acertar com os nossos

GUIMARAES: CEARÁ, o da BAHIA, que ta tudo mundo… (interrompido). O critério, mas enfim…

LULA: Mas veja, deixa eu te falar uma coisa, eu vou pensar ainda hoje, amanhã. Vou ligar para ELA e talvez na semana que vem eu vá pra BRASILIA, conversar com ela.

GUIMARAES: Pronto, eu faço LULA, se isso, se for (interrompido)

LULA: Não, e aí eu vou querer, reunir a bancada, pra ouvir a bancada.

GUIMARAES: Isso, perfeito! Ouvir a bancada, e eu reúno todos os deputados da base contigo, se você quiser.

LULA: Ta bom, ta bom querido!

GUIMARAES: “Tamo” aqui na luta, PRESIDENTE!

LULA: Ta bom GUIMARAES, tenha um bom final de semana querido! Tchau

GUIMARAES: Um abraço, ta bom, tchau!