Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Kátia Abreu, no Twitter: meu partido é o PMDB

Amiga de Dilma e contra o impeachment, ministra da Agricultura negou que esteja de saída da sigla, mesmo após desembarque do governo

A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, negou nesta segunda-feira, em seu perfil no Twitter, rumores de que estaria de saída do PMDB. A desfiliação seria uma forma de manter o cargo no governo após o rompimento do partido ao qual é filiada com o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), na última terça-feira. A ministra negou também que esteja procurando outro partido para se filiar, mas admitiu convites de outras legendas.

“Não procurei partido para me filiar. Recebi convites honrosos, mas meu partido é o PMDB. Pretendo aqui continuar”, relatou a ministra, lembrando ter se filiado ao PMDB a convite do vice-presidente Michel Temer, do senador Renan Calheiros e do ex-presidente da República José Sarney, além de outros amigos. “Me garantiram que eu era bem-vinda e que seria bem recebida”, concluiu.

LEIA TAMBÉM:

Kátia Abreu troca mensagens afirmando que ministros do PMDB não deixarão cargos

Defesa de Dilma vai alegar ‘vingança’ de Cunha ao aceitar impeachment

Declaradamente contra o impeachment e amiga de Dilma, Kátia Abreu está entre os seis dos sete ministros do PMDB que permaneceram no governo, mesmo após o rompimento do partido com a presidente. O único que deixou o cargo foi o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves. Ainda nesta segunda-feira, o PMDB da Bahia informou que ingressará no Conselho de Ética do partido nesta terça-feira com pedido de expulsão da ministra devido ao comportamento “inapropriado e desafiador” da ministra diante da decisão de desembarque tomada pelo diretório nacional do partido.

(Com Estadão Conteúdo)