Indiretas, logo

Eleição direta já é ficção; o momento requer atenção aos fatos

Há ocasiões em que não cabe resistir nem insistir; a única solução é não desistir e prosseguir. Nesse ponto está o Brasil. Recém-saído de um impeachment presidencial, o segundo no espaço de 24 anos, e já às voltas com o impedimento funcional do sucessor de Dilma Rous­seff. De uma decisão dele, unilateral e intransferível, o país depende para conseguir (ou não) atravessar tempos tão infernais.

De solução constitucional quando vice-presidente, Michel Temer na Presidência tornou-se agora um obstáculo à única opção razoável para a administração da crise instalada desde a revelação daquela conversa flagrantemente delituosa com um corruptor confesso: o afastamento do presidente e a realização de eleição indireta pelo Congresso no prazo de trinta dias, nos termos da Constituição. Não tem jeito. Qualquer outro caminho é enganoso ou doloroso.

Para ler a coluna na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ricardo Andreucci

    Prezada Dora, nao creio que Temer deva renunciar. As supostas provas vindas da gravaçao ilegal e ilegítima, plantadas como armadilha para depor o presidente, sao muito frageis e revestidas de fraude.

    Curtir

  2. Artésio Oliveira Campos Prado

    Muito bem, Dora, é isso mesmo. O atual cometeu crime ao receber um corruptor confesso e ao tratar dum propinaço, 480 milhões de reais.

    Curtir

  3. Osmar Serrragem

    Como ser Presidente da República, no Brasil, e não receber bandido? Em que planeta voces vivem? Lalaland?

    Curtir

  4. Osmar Serrragem

    Já sei. Vocês preferem quando o Presidente da República É o bandido…Já entendi…

    Curtir

  5. Ataíde Jorge de Oliveira

    DoRinhAH
    AV@@NTE

    Curtir

  6. Luiz Antônio

    Se você quer pegar o rato na ratoeira não dá para salvar o queijo, pelo uma mordida ele tem que levar. Agora, o que o MP público concedeu de vantagens aos ratos, isso sim é que é alimentar as ratazanas.

    Curtir

  7. Enganoso, doloroso e Ilegal. Não renuncie, Temer!

    Curtir

  8. Artésio Oliveira Campos Prado

    Vem aí o acordão para livrar lula e temer da guilhotina, entre outros. É bom para o país tirar o temer da
    presidência, mas é ruim para o país ter esses dois livres. O fato é o seguinte. As figuras de lula e tmer
    prejudicam seriamente o Brasil. Mas este último ameaça com gravidade nosso presente e o futuro. Eleições indiretas é a única solução. Seja o que Deus quiser.

    Curtir