“Inadmissível”, diz Cármen Lúcia sobre ofensiva contra Fachin

Reportagem de VEJA desta semana revela que Temer acionou o serviço secreto para investigar o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo

Em nota divulgada neste sábado, a presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, afirma que “é inadmissível a prática de gravíssimo crime contra o STF, contra de democracia e contra as liberdades, se confirmada informação de devassa ilegal da vida de um de seus integrantes”. Reportagem de VEJA desta semana informa que o governo, em ofensiva contra a Lava Jato, acionou a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para bisbilhotar a vida do ministro Edson Fachin, relator do inquérito aberto contra o presidente Michel Temer por corrupção, organização criminosa e obstrução de Justiça.

“Própria das ditaduras”, continua Cármen Lúcia, “como é esta prática, contrária à vida livre de toda a pessoa, mais gravosa é ela se voltada contra a responsável atuação de um juiz, sendo absolutamente inaceitável numa República Democrática, pelo que tem de ser civicamente repelida, penalmente apurada e os responsáveis exemplarmente processados e condenados na forma da legislação vigente”.

“O Supremo Tribunal Federal repudia, com veemência, espreita espúria, inconstitucional e imoral contra qualquer cidadão e, mais ainda, contra um de seus integrantes, mais ainda se voltada para constranger a Justiça”, afirma a presidente da Corte. “Se comprovada a sua ocorrência, em qualquer tempo, as consequências jurídicas, políticas e institucionais terão a intensidade do gravame cometido, como determinado pelo direito.”

Também em nota, divulgada ontem, o presidente Michel Temer negou que tenha usado a Abin para investigar a vida do ministro Fachin. “O governo não usa a máquina pública contra os cidadãos brasileiros, muito menos fará qualquer tipo de ação que não respeite aos estritos ditames da lei”, diz o comunicado.

Leia abaixo a íntegra da nota de Cármen Lúcia:

(Reprodução/Reprodução)

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Adriano xhaves

    País de fezes. Vejam Gilmar? E o que dizer de livrandowisk? STF eivado de corrupção ou ministros que advogam de acordo com a ideologia política. Isso mesmo! ADVOGAM a favor de suas respectivas ideologias, usando a toga para fornecer abrigo aos cleptopolíticos.

    Curtir

  2. JOSIMAR SAMPAIO

    Temer temê a justiça ???

    Curtir

  3. Fernanda Ramos

    É inadmissível o que estão fazendo contra o povo, isto sim, não se ergue uma voz para nos apoiar.

    Curtir

  4. Gravar o presidente ilegalmente pode né.
    Já disse Isaac Newton.
    A cada ação corresponde uma reação igual e contrária.
    É apenas o Temer jogando o jogo.

    Curtir

  5. Ciro Lauschner

    Impossível essa senhora autorizar um acordo espúrio como o de Janot-Fachin para liberar um corrupto para tentar derrubar o governo. Achou que ia ser presidente da República, na boa, é!

    Curtir

  6. josé romualdo donatoni

    Senhora ministra!
    Clame pelas FFAA. Precisamos limpar o Brasil

    Curtir

  7. Antonio Renovável

    Tai a resposta daqueles que tanto o stf defende.

    Curtir

  8. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Inadmissível é o que o STF anda fazendo minha senhora.

    Curtir

  9. Antonio Augusto Simoes

    A irmã de Bento Carneiro vampiro brasileiro, Cármen Lúcia, colocada no Tribunal dos poderosos e bandidos por Lula, está chocada com o modus operandi que a colocou na Suprema Corte. Tribunal medíocre e composto até por gente louca, o beiçudo, tresloucado e psicopata Gilmar Mendes. Diante das decisões do seu Tribunal a senhora não pode achar nada inadmissível. Inadmissível é ter na Suprema Corte pessoas como vocês.

    Curtir