Horário eleitoral começa com desculpa de Marta e meme de Erundina

Já Haddad culpou a comunicação pelos problemas da gestão, Doria apelou para o emocional e Russomanno falou em futuro

Mais curta, a propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão começou nesta sexta-feira – e vai se estender até 29 de setembro. Nesse primeiro dia, a candidata à prefeitura de São Paulo Marta Suplicy (PMDB) pediu desculpas pelos erros cometidos no passado. Segundo pesquisa Datafolha divulgada hoje, a senadora tem o segundo maior índice de rejeição entre os postulantes ao cargo, com 32%.

“Errei quando criei taxas como prefeita e quando falei o que não devia como ministra”, disse, referindo-se à taxa de recolhimento de lixo, criada quando ainda era prefeita de São Paulo. Marta também ficou conhecida pela frase “relaxa e goza”, que disse quando ainda era ministra do Turismo, em 2007, em meio ao caos aéreo. “Não fiz tudo o que eu queria fazer, mas fiz muito do que era possível fazer”, afirmou na campanha eleitoral, que também ressaltou os CEUS, o Bilhete Único e o Renda Mínima. “Espero que sempre se lembre dos meus acertos e me desculpe pelos meus tropeços”, conclui a senadora.

Leia mais:

Russomanno lidera corrida eleitoral em São Paulo, com 31%
Mais curto, horário eleitoral começa nesta sexta-feira

Popular nas redes sociais, a deputada federal Luiza Erundina (PSOL) aproveitou seus 10 segundos de inserção para para divulgar um meme que critica o fato de não ter participado do debate da Rede Bandeirantes, na última segunda-feira. Segundo a legislação eleitoral, só seriam convidados os candidatos filiados a partido político com mais de nove parlamentares na Câmara dos Deputados – nesta quinta-feira, o Supremo Tribunal Federal decidiu que as emissoras de rádio e TV podem definir os candidatos que participarão dos debates, mesmo que a presença contrarie os demais concorrentes.

Na propaganda de Erundina, aparece uma foto do debate com as frases: “Cadê a Erundina? Cadê a democracia?” e o ator John Travolta confuso.

Campanha eleitoral da candidata à prefeitura de São Paulo Luiza Erundina (PSOL)

Campanha eleitoral da candidata à prefeitura de São Paulo Luiza Erundina (PSOL) (Divulgação/Facebook)

 

Na liderança do ranking de rejeição do eleitorado, o atual prefeito Fernando Haddad (PT) tentou dizer que o problema de sua administração é, apenas, a comunicação. “Apesar da crise, entregamos muita coisa. Divulgamos pouco as ações porque preferi cortar gastos com publicidade para investir mais”, disse. Haddad ressaltou feitos como os 400 quilômetros de corredores de ônibus e o Bilhete Único mensal.

Com o maior tempo de TV, 3 minutos e 6 segundos, o candidato tucano João Doria tentou descolar sua imagem de representante das elites. A campanha exibida hoje contou a trajetória de Doria e focou nas dificuldades que ele viveu quando criança. “Comecei a trabalhar com 13 anos de idade porque precisava muito. Uma vez minha mãe não conseguiu pagar a luz e ficamos sem luz em casa e consequentemente ficamos sem geladeira”, conta Doria na TV. O empresário disse que trabalhará “em primeiro lugar, para as pessoas que mais sofrem, mais humildes e mais pobres da nossa cidade”.

Já o candidato preferido nas pesquisas eleitorais, o deputado federal Celso Russomanno, usou sua inserção de 1 minuto e 57 segundos para falar sobre o nascimento de três crianças por minuto. “Que cidade é essa que estão criando pra essa criançada?”, questionou.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. sera que pagaram o direito de imagem do Travolta

    Curtir

  2. Jose Eugenio Bevilaqua

    (Risos) Vai começar as ‘sessões’ de possessões demoníacas por esses demônios do chiqueiro e puteiro nacional brasileiro. rsrsrsrs povo FU…, descalços e descamisados, desdentados, desmiolados, desmemoriados e retardados mentais nessa sociedade tupiniquim de psicopatas, rsrsrsrs…

    Curtir

  3. Marco Aguilera King

    A Marta tem uma cara de cheiradeira de farinha . Alguem precisa avisar ela para usar as veias pois os buracos do nariz estao cada vez maiores .

    Curtir