Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-presidente do PSDB de Minas é preso em operação

Ex-secretário do governo Anastasia, Narcio Rodrigues é investigado por suposto desvio de recursos em obras do governo do Estado na cidade mineira de Frutal

O ex-presidente do PSDB de Minas Gerais Narcio Rodrigues foi preso nesta segunda-feira em Belo Horizonte. Alvo de uma operação deflagrada pelo Ministério Público e pela Polícia Militar do Estado de Minas, ele foi levado pela manhã para prestar depoimento. Ex-deputado federal, Rodrigues foi secretário de Ciência e Tecnologia de Antonio Anastasia entre 2011 e 2014.

A operação tem como objetivo investigar um suposto desvio de recursos para a construção do Centro Internacional de Educação, Capacitação e Pesquisa Aplicada em Águas (Hidroex), na cidade mineira de Frutal, no Triângulo Mineiro, reduto eleitoral de Rodrigues. A autorização para o início das atividades do centro foi assinada em fevereiro de 2010 pelo então governador Aécio Neves, atual senador e presidente nacional do PSDB.

Intitulada Aequalis, a operação contou com o apoio Polícia Militar para cumprir, simultaneamente, 27 mandados de busca e apreensão, com alvos localizados nos municípios mineiros de Belo Horizonte, Frutal, Uberaba, Conselheiro Lafaiete e São João Del Rei e, ainda, em São Paulo. O objetivo da operação foi colher elementos de prova sobre a prática dos crimes de peculato, corrupção ativa e passiva, fraude a licitações, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

LEIA TAMBÉM:

Delcídio diz que Aécio recebeu propina em Furnas

Foram cumpridos cinco mandados de prisão temporária. Os presos foram conduzidos à Penitenciária Nelson Hungria, na região metropolitana de Belo Horizonte. Dois investigados foram presos em flagrante por posse de arma de fogo e munições. Ainda estão foragidos outros investigados, entre eles o presidente do grupo econômico multinacional português Yser.

O filho de Narcio Rodrigues, o deputado federal Caio Narcio, acompanhou o pai no depoimento à promotoria. Na votação pelo impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff na Câmara, no dia 17 de abril, Caio Narcio lembrou do pai ao votar a favor do processo contra a petista. “Por um Brasil onde meu pai e meu avô diziam que decência e honestidade não era possibilidade. Era obrigação. Por um Brasil onde os brasileiros tenham decência e honestidade. Por Minas, pelo Brasil, para os jovens que estão lá fora nas ruas, verás que um filho teu não foge à luta”, afirmou, beijando, depois, a bandeira do Brasil.

(Com Estadão Conteúdo)