Erundina quer PSB fora de aliança com Alckmin em SP

Deputada é principal puxadora de votos do partido e ganhou força com aliança Marina-Campos; ela defende candidatura própria para governo estadual

Uma das principais puxadoras de votos do PSB em São Paulo, a deputada federal e ex-prefeita da capital Luiza Erundina defende que seu partido se afaste do governador Geraldo Alckmin (PSDB) e entre na campanha estadual de 2014 com um candidato próprio. Depois de anos isolada da direção do partido, Erundina foi a única parlamentar do PSB que teve espaço no programa de TV da sigla exibido nesta quinta-feira. Ela ganhou força e destaque depois da aliança entre o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, e a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, de quem é amiga. Marina entrou para o PSB após ter o registro de seu partido, o Rede Sustentabilidade, negado pelo Tribunal Superior Eleitoral.

As duas conversaram longamente na segunda-feira. “Acredito que, com a entrada da Rede no PSB, cresce a tese da candidatura própria. A discussão em São Paulo retoma o marco zero”, disse Erundina. A posição da deputada é defendida por outros membros da direção nacional do PSB, mas enfrenta resistência dos dirigentes locais. Até o acordo Marina-Campos, estava praticamente acertado que o partido apoiaria Alckmin no seu projeto de reeleição – e o PSB tentaria emplacar Márcio França como vice.

Restrições – O problema é que a Rede já afirmou ter restrições para apoiar candidatos tanto do PSDB quanto do PT, o que pode trazer problemas na composição de alianças regionais. A chapa dos sonhos dos marineiros para o governo paulista seria encabeçada por Walter Feldman e teria o vereador Ricardo Young (PPS) como vice.

A deputada avalia que é cedo para falar em nomes, mas reservadamente os integrantes do PSB que defendem essa tese apresentam três opções: a própria Erundina, França e o deputado federal Walter Feldman. Ex-tucano, Feldman passou a dividir com França o comando do diretório por indicação da Rede. A primeira reunião entre os membros da Rede e do PSB paulista será nesta sexta-feira.

Alckmin deve encontrar França no fim de semana para discutir a aliança no estado. Além disso, o governador já começou a costurar com o PSB uma visita de Campos ao Palácio dos Bandeirantes na semana que vem. A proposta é montar uma agenda administrativa para reforçar a parceria dos governadores. Depois disso, os dois devem se reunir para negociar a situação dos partidos.

(Com Estadão Conteúdo)