Emanuel lidera em Cuiabá com 35%; adversário segue indefinido

Entre os votos válidos, Wilson Santos com 28% e Procurador Mauro com 24% disputam a vice-liderança e uma vaga no segundo turno

A dois dias das eleições municipais, os candidatos Wilson Santos (PSDB) e Procurador Mauro (PSOL) disputam voto a voto o direito de chegar ao segundo turno. É o que mostra pesquisa Ibope encomendada pela TV Centro América e divulgada nesta sexta-feira. Na liderança da preferência do eleitorado, considerando os votos válidos, aparece o deputado estadual Emanuel Pinheiro (PMDB), com 35%. Na segunda colocação, em situação de empate técnico, Wilson Santos tem 28% e Procurador Mauro, 24%.

O ex-juiz Julier Sebatião (PDT) aparece na sequência, com 9% das intenções de voto. Renato Santtana (Rede) e Serys Slhessarenko (PRB) têm 2% cada.

Na pesquisa estimulada e computados os votos totais, situação em que são elencadas as opções de votos em branco ou nulos, Emanuel Pinheiro tem 30%, Wilson Santos, 25%, e Procurador Mauro registra 21% da preferência dos eleitores. Neste cenário, Julier Sebastião tem 8% e Renato Santtana e Serys Slhessarenko registram 2% cada um. Votos em branco ou nulos somam 7%, enquanto eleitores indecisos são 5%.

Nas simulações de segundo turno, Emanuel Pinheiro venceria tanto Wilson Santos quanto Procurador Mauro. Na situação simulada em que enfrentaria o candidato do PSOL, Pinheiro teria 48% contra 35% de Mauro – 12% votariam em branco ou nulo e 5% se declararam indecisos. Contra o tucano Wilson Santos, o peemedebista somaria 52% contra apenas 30% do adversário (13% de brancos e nulos e 6% de indecisos). Na hipótese de confronto entre Procurador Mauro e Wilson Santos, o representante do PSOL levaria a melhor e venceria as eleições por 46% a 34% (13% de brancos e nulos e 7% de indecisos).

A pesquisa Ibope/TV Centro América foi realizada entre os dias 27 e 29 de setembro com 602 eleitores. Registrado no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT) sob o número MT-07012/2016, o levantamento tem margem de erro de quatro pontos percentuais e nível de confiança de 95%.