Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Doria diz que performance no MAM é uma afronta à liberdade

Manifestação do prefeito ocorre após o Ministério Público abrir um inquérito civil para investigar a apresentação do artista fluminense Wagner Schwartz

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), publicou neste sábado um vídeo em que condena a exposição sobre diversidade Queermuseu, em Porto Alegre, e a performance do artista fluminense Wagner Schwartz, realizada no “35º Panorama da Arte Brasileira – 2017” do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM). Para o tucano, as mostras “afrontam o direito, a liberdade e, obviamente, a responsabilidade”.

A exposição Queermuseu foi encerrada em 10 de setembro, pelo Santander Culturalapós protestos de grupos, entre eles o Movimento Brasil Livre (MBL), que alegavam que as obras faziam apologia à pedofilia e à zoofilia. A mostra continha obras de artistas reconhecidos mundialmente, como Candido Portinari, Alfredo Volpi e Lygia Clark

Já a performance de Schwartz causou polêmica após uma criança ter interagido com o ator, que se apresentava nu, no centro de um tablado. Um vídeo mostra a menina tocando a canela e os pés de Schwartz, que estava deitado de barriga para cima, com a genitália à mostra. A criança estava acompanhada de sua mãe.

Veja também

Doria disse compreender que a arte é uma manifestação “muito aberta e ampla”, mas defendeu a imposição de limites para exposições. “No caso de São Paulo, a exposição realizada no MAM, que é uma instituição séria, não pode, em nome dessa liberdade, permitir que uma cena libidinosa, que estimula uma relação artificial, condenada e absolutamente imprópria, seja colocada para o público.”

O prefeito, que disputa com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a indicação do PSDB para concorrer à Presidência da República nas eleições de 2018, disse que a performance fere o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA). “E, ao ferir, ele está cometendo uma impropriedade, uma ilegalidade, e deve ser imediatamente retirado, além de condenado.”

“Gosto da arte, admiro a arte. Mas tudo, tudo, tudo deve obedecer a um limite. Não pode haver nada que, no contexto da sua própria liberdade, afronte a liberdade de outra pessoa. Peço àqueles que promovem a arte no Brasil que tenham a consciência de que é preciso respeitar aqueles que frequentam os espaços públicos, a família, as religiões e a liberdade alheia”, disse Doria.

Investigação

A manifestação de Doria ocorre após o Ministério Público (MP) de São Paulo ter aberto um inquérito civil para apurar denuncias relacionadas à performance. Segundo as acusações recebidas pelo MP, o museu “estaria expondo crianças e adolescentes a conteúdo impróprio, uma vez que um homem estaria pousando totalmente sem roupa e o público seria convidado a tocá-lo, inclusive crianças”.

Segundo o MAM, a performance aconteceu apenas uma vez, em sessão fechada para convidados, e a sala onde ocorreu estava sinalizada sobre o teor da apresentação, incluindo a nudez.

Em Porto Alegre, o Ministério Público Federal (MPF) do Rio Grande do Sul recomendou que o Santander Cultural reabra imediatamente a exposição. Em nota, o Santander disse que não iria cumprir a recomendação.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Osmar Serrragem

    Agora, estamos esperando a valorosa Polícia Civil do Estado de São Paulo se mexer. Eu, senhores Delegados! Vocês não lêem jornais? Tweeter? E o Nobre Ministério Publico? Há um CRIME ocorrendo, com dezenas (Agora milhões) de testemunhas!

    Curtir

  2. Democrata Cristão (Liberdade de Expressão é meu direito CF 88 art 5 e art 220)

    Até nos EUA, considerado o país da Liberdade, a liberdade tem limite. Não confunda Liberdade com libertinagem.

    Curtir

  3. Osmar Serrragem

    Alô Polícia Civil! O que ocorreu é CRIME de Abuso Sexual à Infância. Vocês não vão investigar?!?

    Curtir

  4. Gato Escaldado Tem Medo De Água Fria…
    A Coisa Tá Tão Escabrosa, Que Arte Visual
    Do Pika-Paul Geram Dúvidas…

    Curtir

  5. CHAMAR QUALQUER COISA DE ARTE FAZ AO MESMO TEMPO O NADA SER ARTE…..isso já foi dito aqui pela prórpria VEJA………………….na verdade no centro disso está o desejo de desestabilizar a família , a ética , os bons costumes. Esses canalhas são um bando de sem mães , sem nada….vivem a chafurdar no lamaçal da imoralidade . LIXOS

    Curtir

  6. Lucia Regina

    É muito grave. Onde estava o Juizado de Menores para autorizar essa criança?
    Que eu saiba tem que ter autorização do Juizado de Menores para uma criança participar de qualquer evento, seja teatro, televisão, e outros. E essa mãe. Ela sim tem que responder judicialmente.
    O que ficamos indignados é como as autoridades deixaram isso acontecer.
    É revoltante.

    Curtir

  7. Antônio de Oliveira Marques

    Alô, Polícia, entre em ação e prenda esses imundos da sacanagem.
    E levem eles ao encontro do pessoal que gosta de acariciar aproveitadores de crianças, inclusive a mãe libertina sem vergonha.

    Curtir

  8. Sérgio Raposo

    Tempos sombrios estes que estamos vivendo: se alguém chamar algo de arte, toda crítica será taxada de censura, manifestação de ódio, produto de preconceito, cerceamento à liberdade alheia e outras bobagens histéricas que vêm sendo tidas como “positivas”, “válidas”, “reações naturais”, “direito de resposta”, “catarse reativa à submissões pretéritas à violência” e outras retóricas sofisticadas. Teoricamente, todos têm direito à liberdade de expressão, mas na prática isso só vale se você elogiar.
    .
    Chame algo de manifestação artística e isso será o passaporte para, simultaneamente, contrariar uma ou mais leis mas, sempre estar ao abrigo do direito fundamental da liberdade de expressão.
    .
    Estamos em tempos de vale-tudo, com o devido respaldo da lei, para quem souber usar.

    Curtir