Dilma ganha mais um dia para entregar defesa do impeachment

Defesa de Dilma alegou que ela teve o direito de defesa prejudicado porque o sistema onde fica hospedado o processo na internet estava suspenso

O presidente da Comissão Especial do Impeachment no Senado, Raimundo Lira (PMDB-PB), prorrogou por 24 horas o prazo para que a defesa da presidente afastada, Dilma Rousseff, entregue os documentos com as alegações finais do processo. Com isso, o prazo que vencia nesta quarta-feira foi estendido até amanhã.

Lira atendeu parcialmente a um pedido dos advogados de Dilma, que queriam prorrogar por dois dias o prazo para entrega da documentação. Por causa da suspensão dos serviços da página do Senado na internet, onde fica hospedada toda a documentação do processo, a defesa de Dilma argumentou que a presidente afastada teve o amplo direito de defesa prejudicado por ter ficado sem acesso aos autos do processo.

Leia também:
Dilma, sobre o impeachment: ‘Quero acabar logo com essa agonia’
Defesa de Dilma usará perícia que descarta crime em pedaladas

Em nota, Lira afirmou que a indisponibilidade do conteúdo se deu em virtude de manutenção programada, que a ação foi anunciada pelo portal do Senado e que o “sistema permite que os arquivos sejam baixados para consulta no computador do usuário sem necessidade de acesso à internet”. Segundo o senador, os sistemas começaram a ser religados, “tornando-se novamente disponíveis antes das alegadas 48 horas de suspensão” reivindicadas pela defesa de Dilma.

“Decido acolher em parte as razões da defesa para conceder-lhe prazo adicional de 24 horas, até o término do expediente da quinta-feira, 28 de julho, para apresentação de suas alegações finais, restando inalteradas as demais datas de reunião da comissão”, diz a nota assinada pelo senador peemedebista.

Após a entrega das alegações, a documentação será encaminhada ao relator da comissão, Antonio Anastasia (PSDB-MG), que terá cinco dias para apresentar seu parecer sobre a acusação. O relatório será votado pela comissão, por maioria simples – metade mais um dos senadores presentes à sessão. Em seguida, haverá nova votação no plenário da Casa, sob o comando do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, encerrando, assim, a fase de pronúncia do impeachment.

(Com Agência Brasil)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Rômulo Viel

    Impressionante como essa corja continua protelando, esperneando para não largar o osso que roubou!

    Curtir

  2. Tudo que começa errado, fatalmente termina errado..O governo petista sempre governou á margem da LEI..E agora que tem que prestar contas de seus erros cometidos contra a sociedade e o estado se agarram a ‘qualquer filigrana ou brechas na LEI’ para se salvar..É mais um dia de ‘esperança para Dilma e sofrimento para plebe ignara e sofredora.( que somos nós)…

    Curtir

  3. jader ribeiro e silva câmara câmara

    A presidenta afirmou que não irá a abertura dos jogos olímpicos como ” espectadora ” , a arrogância desta senhora impressiona até na beira do precipício .

    Curtir

  4. Cristiane Alves Aquino Pizzoli

    Esta parecendo uma novela mexicana:o impeachment de Dilma nunca chega ao fim!!!

    Curtir

  5. Mauricio Dos Reis Oliveira

    Dona Dilma a senhora ja sabe que totalmente ruim para o país vai renuncia e poupe um pouco de dinheiro dos contribuintes.

    Curtir