Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Dilma e Lula fazem ofensiva por votos de Marina em PE

Série de ataques ao PSDB no Nordeste é esforço para evitar que os eleitores de Marina Silva em Pernambuco migrem para Aécio Neves na reta final

Pela segunda vez no dia, a presidente-candidata Dilma Rousseff (PT) disparou contra o PSDB em Pernambuco: nesta noite, disse que os tucanos vestiram “pele de cordeiro” e que eles só trabalham para “favorecer a eles mesmos”. A onda de ataques diretos ao PSDB no Nordeste é o último esforço petista para evitar que os eleitores de Marina Silva (PSB), que saiu vitoriosa das urnas em Pernambuco, migrem para Aécio Neves (PSDB) e impulsionem a margem de votos no segundo maior colégio eleitoral da região.

Leia também:

Aécio, sobre pesquisas: ‘O Brasil saberá responder nas urnas’

TSE rejeita pedido de Dilma para censurar reportagem do site de VEJA

TSE suspende três propagandas de Aécio

“Hoje, eles vestiram uma pelezinha de cordeiro que esconde todas as suas intenções. Eles têm um olhar preconceituoso para com o Brasil. Olham para os mais pobres e não veem neles cidadãos brasileiros. Olham para o Nordeste, para a periferia e não veem a força desse povo”, disse Dilma. A presidente afirmou que o Nordeste foi “historicamente prejudicado”, mas começou a “virar o jogo eleitoral e o da consciência”. “Vocês conquistaram muita coisa para suas famílias com espirito de luta. Mas vocês conquistaram agora e não antes porque o governo criou oportunidades que não existiam no tempo dos tucanos. Os tucanos não gostam de oportunidades que não sejam para eles.”

Na noite desta terça, Dilma ainda fará uma caminhada seguida de comício em Recife, capital do Estado e zona com mais forte influência de Marina Silva. Mais cedo, Dilma chegou a incitar os nordestinos de Petrolina a ignorar seu adversário no segundo turno.

Lula – Mais uma vez, o ex-presidente Lula usou o palanque petista em Goiana para comandar a artilharia. “Nós estamos provando que o Nordeste não é feito de homens e mulheres de segunda categoria. Houve alguém, que já foi presidente da República deste país, um senhor muito estudado, professor da USP, que depois das eleições disse que a companheira Dilma só tinha ganhado no Norte e no Nordeste porque o povo do Norte e Nordeste não tem informação”, disse Lula. “Nós precisamos dizer pra esse senhor, e pra outros senhores que acreditam que a gente não tem informação que a gente tem tanta formação que resolveu nunca mais votar num tucano pra governar nosso país.”

Responsável por capitanear a baixaria na reta final da eleição, Lula repetiu a tática adotada no final de semana em Minas Gerais e disse que Aécio Neves ofendeu Dilma. “Aécio gritou com ela achando que ela ia se amofinar. Ele não percebe que ela já ficou diante de gente mais dura que ele, de torturador, e não baixou a cabeça. Ela sabe que não tem de responder a ele cada acusação. Cada vez que ofendê-la, ele tem que lembrar da cara de vocês, e ela tem de falar pra ele ‘Aécio, eu não governo pra você e eu não vou responder para você, eu vou responder para o povo brasileiro.”

Lula ainda criticou a crise hídrica em São Paulo e o governador Geraldo Alckmin (PSDB). “Enquanto a senhora traz água para o Nordeste, o governador de São Paulo que é tucano está deixando faltar água para a gente beber lá em São Paulo.”

O ex-presidente pediu aos pernambucanos como “presente de aniversário” a reeleição de Dilma. “Segunda-feira vocês têm a obrigação de me dar de presente a reeleição da Dilma porque eu faço aniversário na segunda-feira”, disse.

Para continuar o discurso raivoso, Lula comparou os tucanos com nazistas. “Se o Nordeste ouviu, leu ou viu as ofensas contra nós, o preconceito contra nós… De vez em quando, parece que estão agredindo a gente como os nazistas agrediam no tempo da 2ª Guerra Mundial. Eles são intolerantes. Outro dia eu dizia para eles: vocês são mais intolerantes que Herodes que mandou matar Jesus Cristo. E vocês querem acabar com o PT, com a nossa presidente, querem achincalhar ela, chamar ele de leviana. Só pode ser feito por um filhinho de papai”, disse o ex-presidente.