Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Desocupação termina em tumulto no Jardim Botânico

Área pertence a instituto de pesquisas e está em disputa judicial há 20 anos

A Polícia Militar do Rio de Janeiro utilizou bombas de efeito moral e spray de pimenta durante a desocupação do Clube Caxinguilê, no Jardim Botânico, na manhã desta segunda-feira. A ação cumpria uma ordem judicial de reintegração de posse, expedida pela 17ª Vara Federal do Rio de Janeiro. A área pertence ao Instituto de Pesquisas Jardim Botânico.

Cerca de 130 policiais militares foram acionados para a operação. Os invasores – em torno de cinquenta – recusaram-se a deixar o local e protestaram contra a ação policial. Alguns manifestantes passaram mal devido à ingestão de gás e tiveram foram socorridos. “Foi necessário utilizar armamento não letal para impedir que pessoas que já haviam desocupado o local invadissem novamente a área”, justificou a Polícia Militar em comunicado.

O Clube Caxinguilê foi erguido em terreno que pertence à União. A batalha judicial pelo direito de ocupação dura mais de 20 anos. De acordo com o Jardim Botânico, o clube está dentro do arboreto (coleção de plantas) tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), próximo a um dos monumentos históricos mais importantes do Jardim Botânico, o Aqueduto da Levada. Ao lado, há casas de famílias que também são consideradas invasoras, mas não foram retiradas nesta segunda.

A presidente do Jardim Botânico, Samyra Crespo, diz que a área vai priorizar o ambiente. “É preciso ter em conta que as atividades de um clube, com eventos esportivos, festas e iluminação forte à noite não se coadunam com a natureza nem missão do Instituto. No lugar reintegrado ao Jardim, instalaremos em breve uma nova estufa de orquídeas, expandindo nossa coleção científica hoje bastante acanhada por falta de espaço, e num futuro próximo iniciaremos obras para recomposição paisagística e recuperação do monumento que ali se encontra.”

Leia também:

União removerá morador do Jardim Botânico, diz ministra

Polícia Federal faz reintegração de posse no Horto do Rio