Cunha: ‘Prisão é absurda e sem motivação’

Ex-presidente da Câmara está a caminho de Curitiba, onde ficará detido preventivamente

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) reagiu nesta quarta-feira a ordem de prisão expedida contra ele pelo juiz Sergio Moro e atacou o Ministério Público Federal em Curitiba. “Trata-se de uma decisão absurda, sem nenhuma motivação e utilizando-se dos argumentos de uma ação cautelar extinta pelo Supremo Tribunal Federal”, disse Cunha por meio de nota. O político está neste momento a caminho de Curitiba, onde deverá se apresentar à Superintendência da Polícia Federal na capital paranaense por volta das 16h30.

Rodrigo Janot havia solicitado a prisão de Eduardo Cunha por considerar que ele continuava mantendo influência sobre correligionários e aliados e impedindo que investigações contra ele seguissem adiante. A penalidade, alegou o chefe do Ministério Público, seria uma prisão preventiva sancionatória, já que Cunha havia sido suspenso de seu mandato e afastado da presidência da Câmara dos Deputados, mas ainda assim continuava a atuar contra o avanço de apurações da Operação Lava Jato. O ministro Teori Zavascki, do STF, no entanto, arquivou o pedido de prisão do político. Cassado, Cunha perdeu o direito ao foro privilegiado e teve parte de seus processos remetidos para Curitiba e passou a ficar sob a alçada do juiz Sergio Moro.

“A referida ação cautelar do supremo, que pedia minha prisão preventiva, foi extinta e o juiz, nos fundamentos da decretação de prisão, utiliza os fundamentos dessa ação cautelar, bem como de fatos atinentes a outros inquéritos que não estão sob sua jurisdição, não sendo ele juiz competente para deliberar”, atacou Eduardo Cunha nesta quarta.

Ao pedir a prisão de Cunha, a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba listou argumentos similares aos que já haviam sido invocados pelo procurador-geral da República Rodrigo Janot quando ele defendeu que o político fosse suspenso do mandato parlamentar. Segundo a força-tarefa da Lava Jato, evidenciam a disposição de Cunha de atrapalhar as investigações iniciativas como o assédio a lobistas, o uso da extinta CPI da Petrobras para coagir a advogada Beatriz Catta Preta e o doleiro Alberto Youssef e a contratação da empresa de investigação Kroll para desqualificar informações dadas em depoimento por delatores.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. sidney abreu

    Ainda bem que temos o Elmo. Moro para corrigir os deslizes dos Ministros do STF….

    Curtir

  2. PARABÉNS a JANOT, MORO e o conjunto da obra LAVA-JATO. A espera dos brasileiros é a OPERAÇÃO LAVA-JATO para passar o Brasil a limpo e banir do governo uma cambada de políticos imprestáveis que só serve para sugar o dinheiro público.

    Curtir

  3. Ainda contesta sua prisão, sem nenhum fundamento jurídico! Levou ainda vantagem, pois, até ser cassado pelos seus pares demorou um ano!

    Curtir

  4. adson miranda de almeida

    A fila continua. Quem será o próximo da lista? Renan, Lula? Vamos aguardar

    Curtir

  5. Fernando Cezar Tiepo

    Que a justiça seja feita, parabéns Moro e Cia.

    Curtir

  6. bebeto santos

    Prenderam meu malvado favorito kkkkk,i aí meretíssimo Moro,agora é Lula lá, e o renam canalha,e o circo tá fechando

    Curtir