Crivella e Freixo disputarão segundo turno no Rio de Janeiro

O PMDB do prefeito Eduardo Paes não conseguiu levar Pedro Paulo adiante na eleição carioca

As pesquisas eleitorais deixaram em aberto o segundo lugar na disputa à prefeitura do Rio de Janeiro até a véspera da eleição. No início da noite deste domingo, com a apuração das urnas, ficou definido que a corrida eleitoral continuará entre Marcelo Crivella, do PRB, que teve 27,78% dos votos, e Marcelo Freixo, do PSOL, com 18,26%. O socialista nunca havia conseguido ir tão longe em uma disputa majoritária. Em terceiro lugar, ficou Pedro Paulo (PMDB), com 16,12% ; seguido por Flávio Bolsonaro (PSC), com 14%; Indio da Costa (PSD), com 8,99%; Carlos Roberto Osório (PSDB), com 8,62%; Jandira Feghali (PC do B), com 3,34%; Alessandro Molon (Rede), com 1,43%; e Carmem Migueles (Novo), com 1,27%. A quantidade de brancos, nulos e abstenções chamou a atenção: 5,50%, 12,76% e  24,28% — um crescimento considerável em relação à eleição de 2012, quando houve, respectivamente, 5,03%, 8,48% e 20,45%.

O grande derrotado da eleição foi Pedro Paulo, que não conseguiu chegar ao segundo turno mesmo com o apoio da máquina peemedebista. Ele foi escolhido pelo prefeito Eduardo Paes para sucedê-lo no posto, mas não conseguiu reverter o alto índice de rejeição. Pedro Paulo ficou marcado pela acusação de agredir a sua ex-mulher, Alexandra Marcondes. Ela, a babá, que era testemunha, e o perito voltaram atrás em suas versões e o caso acabou arquivado. Mas foi o suficiente para provocar um enorme estrago para a candidatura.

A surpresa desta eleição ficou por conta de Flávio Bolsonaro, o quarto colocado. Muitos acreditaram que a candidatura do filho do deputado federal Jair perderia fôlego no meio da campanha, mas o que houve foi exatamente o contrário. Flávio saiu com o resultado maior do que as pesquisas Ibope e Datafolha indicaram. O nome da polêmica família na disputa carioca foi um grande teste para a candidatura de Jair Bolsonaro à presidência da república em 2018.

A tendência é que, no segundo turno do Rio, os dois Marcelos deixem mais claras as suas propostas. Até agora, os debates entre os candidatos foram marcados por um nível baixo de diálogo, com xingamentos, baixarias e poucas ideias concretas para melhorar a saúde e a educação.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Micky Oliver

    É CARIOCADA…VCS MERECEM TUDO DE RUIM!!!

    Curtir

  2. Daniel Carvalho - PARAÍBA

    Tudo dominado. Povinho sem-vergonha.

    Curtir

  3. Vanusa Martins

    Crivella pra prefeito, esse sim merece, pois é ficha limpa, tem boas propostas, vou de 50!!!

    Curtir

  4. Samuca Amarantos

    Parabéns ao Crivella, agora que venha o segundo turno, fora Freixo, queremos Crivella, é 10! 10! 10!

    Curtir

  5. João carlos

    Alô carioca por favor não cometa o erro de colocar a prefeitura do RIO nas mãos do PSOL,porque essa gente não sabe governar e sim desgovernar é um braço do PT,vai encher a prefeitura de petistas,fazer a casa de cabide.

    Curtir

  6. Fábio Luís Inaimo

    E segue o show de horror, agora com o sério risco de destruição de uma cidade dita maravilhosa, vamos acordar cariocas!

    Curtir

  7. Plínio Santos

    Por isso o Rio tá uma mer;;;DhA. Votam em lixos para governar e depois ficam pedindo dinheiro aos d+ Estados e União. Crivela até pode ser, mas votar em defensor de BlackBlocs e depredações é pedir para piorar mais.

    Curtir

  8. nina lucia da s rocha

    São candidatos surumbáticos.Esse Freixo tem cara de doido.

    Curtir

  9. Alo Rio, fiquem de olho nesse FREIXO. Vao levar um NABO.

    Curtir

  10. Simplesmente

    Como diria o Capitão Nascimento:
    “Pra piorar o Fraga saiu candidato. E é claro que todos os intelectuais de esquerda e todos os maconheiros da cidade iam votar nele.”

    Curtir