Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

CPI adia para quinta-feira depoimentos de procuradores

Parlamentares ouvem nesta quinta-feira delegado da Polícia Federal

Por unanimidade, a CPI do Cachoeira decidiu nesta quinta-feira adiar para a próxima semana os depoimentos dos procuradores Daniel de Rezende Salgado e Léa Batista de Oliveira, responsáveis pelas investigações da operação Monte Carlo. A mudança de data ocorre após a longa fala do delegado da Polícia Federal (PF) Matheus Mella Rodrigues, iniciada nesta manhã e ainda não concluída.

“Com essa extensão do depoimento, houve uma prudente decisão da comissão de adiar para a próxima quinta-feira o depoimento dos dois procuradores. Era contraproducente ouvir os dois procuradores. Foi unânime e a comissão decidiu adiar”, informou o presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). Os procuradores serão ouvidos pela CPI no próximo dia 17, após a sessão administrativa que irá levar à votação, por exemplo, requerimentos para o depoimento do procurador-geral da República, Roberto Gurgel.

Expansão – Conforme relato do presidente da comissão de inquérito, o depoimento de Mella Rodrigues hoje revela a “formação da rede que inicialmente se alastrou no território goiano com jogo de bicho e corrupção” e a expansão do esquema comandado pelo contraventor Carlinhos Cachoeira.

Ainda durante o depoimento do delegado da PF, o relator da CPI do Cachoeira, deputado Odair Cunha (PT-MG), disse que, após detalhar as estratégias da organização criminosa do bicheiro, sua convicção é a de que os parlamentares devem reforçar a apuração do esquema de lavagem de dinheiro e de evasão de divisas do bicheiro. Das treze empresas de Cachoeira apontadas pela PF como envolvidas no esquema, pelo menos três receberam depósitos da construtora Delta.

Leia também:

Uma CPI para investigar a farra entre o público e o privado

Quadrilha de Cachoeira faturava um milhão por mês

Cachoeira será testemunha de Demóstenes

Conselho abre processo contra Demóstenes