Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Convite a D’Urso para vice incomoda Fernando Haddad

Após desistência de Luiza Erundina, pré-candidato do PT à prefeitura de São Paulo assume as negociações para a escolha de um novo nome. “Quem decide o vice é o candidato”, diz

A sondagem que o PT fez para que Luiz Flávio D’Urso, do PTB, seja candidato a vice-prefeito na chapa de Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo irritou o ex-ministro da Educação. “Quem decide o vice é o candidato. Quando eu convidar alguém, eu anuncio”, afirmou ele na manhã desta sexta-feira.

Após a desistência da deputada Luiza Erundina de ser vice na chapa do PT, Haddad assumiu de maneira mais firme a negociação para a escolha do nome. “Vice é uma coisa muito pessoal. O convite para vice se faz pelo candidato. Vice é prerrogativa do candidato”, disse.

Haddad – que não esconde ainda estar abalado com a renúncia da ex-prefeita – afirmou à coordenação de sua campanha que não vê motivo para pressa em escolher um novo vice. O ex-ministro só pretende definir o nome quando o arco de alianças estiver fechado e espera a decisão do PCdoB, que até segunda-feira deve oficializar o acordo com os petistas, para anunciar a nova chapa. Assim que soube que Erundina não abriria mão de seus princípios para fazer campanha ao lado de Paulo Maluf, Haddad ligou para os líderes comunistas para avisar sobre a mudança de cenário. O interlocutor escolhido foi o ex-ministro Orlando Silva.

“Não existe um nome de um partido que não está coligado. Isso não faz nenhum sentido”, disse Haddad sobre a possível escolha de D’Urso. Segundo ele, o PTB foi procurado para compor a chapa por fazer parte da base do governo da presidente Dilma Rousseff. “O PTB foi sondado como partido, mas não (sondamos) os indivíduos. Todos os partidos que apoiam o governo Dilma foram convidados a integrar nossa chapa”.

Em conversa com o site de VEJA, D’Urso afirmou que não foi procurado por nenhum petista. Na terça-feira à noite, porém, pouco tempo depois de Erundina oficializar sua saída da chapa, ele recebeu uma ligação do deputado Campos Machado. O presidente estadual do PTB, segundo ele, disse que havia conversado com o presidente estadual do PT, deputado Edinho Silva, sobre a possibilidade de ele ser o vice na chapa de Haddad. “Quem me comunicou dessa possível aliança foi o Campos. Nunca ninguém da campanha de Haddad me procurou. Não recebi convite de nenhum petista.”

D’Urso disse ainda que na quarta-feira pela manhã recebeu um telefonema do deputado Paulo Maluf, presidente estadual do PP. “Ele me ligou para dizer que, caso o meu nome fosse indicado, o PP apoiaria”, contou. D’Urso disse ainda estar “honrado” com os convites que também recebeu do PRB e do PMDB, mas que está com a decisão do partido, de manter a candidatura própria.

A conversa pelo telefone com Campos foi confirmada por Edinho Silva ao site de Veja. Mas disse que, em nenhum momento, formalizou o convite para D’Urso. “Não partiu de mim, não foi inciativa minha”, afirmou. Embora a cúpula petista tenha oferecido a Campos Machado a coligação proporcional para a chapa de vereadores, Haddad afirmou considerar “remota” uma aliança com o PTB, que calcula ter 49 segundos na propaganda eleitoral. “Os prazos estão se esgotando e não há nenhuma movimentação nesse sentido”, disse.