Computadores do Planalto editaram Wikipédia em prol de Dilma e Padilha

Edições removeram suspeitas de corrupção em órgão em que Padilha trabalhou. E inseriram ataques a José Serra durante a disputa eleitoral de 2010

Computadores do Planalto foram usados para editar páginas na enciclopédia colaborativa Wikipédia em prol da presidente Dilma Rousseff e de seu ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, candidato do PT ao governo de São Paulo. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

A Wikipédia registra todos os endereços de IP de computadores que realizam alterações em suas páginas. A reportagem do jornal cruzou esses dados com os endereços de IP registrados em nome do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e da Presidência da República – e detectou que, entre 2008 e 2014, páginas foram modificadas por onze computadores do governo para inclusão de elogios e exclusão de críticas a petistas. E também para atacar o ex-governador de São Paulo José Serra, em 2010, quando o tucano era adversário de Dilma na corrida ao Palácio do Planalto. Segundo a Folha, as alterações foram desfeitas por outros usuários da rede, porque feriam as regras de uso da enciclopédia virtual.

Leia também:

Em Guarulhos, Padilha sobe o tom contra Alckmin

O dilema do PT para se livrar do deputado-bomba

Em 2013, por exemplo, uma conexão de internet da Presidência foi utilizada para remover da Wikipédia trecho sobre suspeitas de corrupção na Funasa quando Padilha integrava o órgão. Segundo o jornal, o trecho suprimido foi o seguinte: “Em maio de 2013, iniciam investigações mediadas pelo Procurador-geral da República, Roberto Gurgel, por suspeitas de irregularidades na Funasa em 2004, quando Padilha era diretor de Saúde Indígena do órgão […]”. O editor aproveitou, ainda, para incluir elogios ao programa Mais Médicos, uma das principais bandeiras eleitorais de Dilma e Padilha. “Com o sucesso do Mais Médicos, Padilha se torna um dos pré-candidatos petistas à disputa pelo governo de São Paulo”, diz o texto alterado. O original dizia apenas: “Padilha é um dos pré-candidatos petistas à disputa pelo governo de São Paulo, tendo transferido seu título eleitoral de Santarém para São Paulo em junho de 2013”.

Em junho do mesmo ano, em meio a onda de protestos que varreu o país, endereço de IP do Serpro foi utilizado para alterar a página do Movimento Passe Livre (MPL) na enciclopédia. O texto colocado dizia que o MPL “se utiliza de protestos e, não raramente, depredação e violência para alavancar” reivindicações. Afirmava também que a tarifa zero, uma das bandeiras do grupo, ignora que “todo aumento de gasto público implica menos orçamento” para saúde e educação.

Já em 2010, um computador federal foi usado para inserir críticas a José Serra na página do tucano. O texto incluído dizia que “se eleito presidente, Serra pretende, como uma de suas metas, acabar com todas as empresas estatais e sucatear todas as empresas públicas”. Procurado pelo jornal, o Serpro se negou a informar onde tais computadores estão alocados. Padilha se negou a comentar o assunto.