Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alckmin diz que tempo de TV foi decisivo para escolha de Serra

Coligação composta por quinze partidos dará a Serra três minutos de exposição. Meta de ex-governador será vencer Eduardo Suplicy (PT)

O governador Geraldo Alckmin (PSDB), que concorre à reeleição, afirmou nesta terça-feira que o tempo de TV na propaganda eleitoral gratuita foi fundamental na decisão do ex-governador José Serra de disputar uma vaga no Senado.

“Nós tínhamos quinze partidos na nossa coligação e, pela legislação nova, se um partido não participa da coligação de senador você desmonta a coligação dos quinze e ficaria apenas com o tempo de televisão do seu partido. Então, ficaria com o tempo pequeno. Os outros catorze não teriam o tempo aproveitado. Nós conseguimos construir uma aliança também para o Senado em que todos os partidos estarão juntos. Então, terá um ótimo tempo de televisão, acredito até que será o maior”, afirmou o governador, durante inauguração de uma nova área anexa de um hospital na capital paulista.

A coligação dos quinze partidos que fazem parte da chapa do PSDB irá render a Alckmin de seis a sete minutos no horário eleitoral gratuito, segundo a direção estadual do partido. Já Serra terá três minutos.

“O Serra é uma pessoa extremamente preparada e será bom para São Paulo ter um senador da sua estatura, da sua experiência. Para São Paulo é ótimo. É bom para o Brasil ter um quadro com essa capacidade de trabalho no Senado Federal”, afirmou Alckmin.

Reinaldo Azevedo: Serra será candidato ao Senado pela frente que apoia Alckmin

Serra irá enfrentar o petista Eduardo Suplicy, que disputa seu quarto mandato como senador – está, portanto, há 24 anos no cargo. Na segunda-feira, o ex-prefeito Gilberto Kassab, do PSD, também teve seu nome lançado na disputa. Ele afirmara que não seria candidato se o ex-governador José Serra (PSDB) disputasse o mesmo cargo, mas disse que vai manter a candidatura.

O presidente do PSD decidiu na segunda-feira disputar o Senado pela chapa de Paulo Skaf (PMDB), adversário de Alckmin ao governo do Estado. Serra é o principal padrinho político de Kassab. O ex-prefeito foi vice do tucano na prefeitura de São Paulo e herdou o cargo em março de 2006, quando Serra deixou o posto para ser candidato ao governo paulista.