Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Agenda de ex-diretores da Petrobras desmente depoimento de Lula

Ao juiz Sergio Moro na semana passada, ex-presidente afirmou que só tinha se reunido duas vezes com diretores da Petrobras; agendas apontam 23 encontros

Na última segunda-feira, o Ministério Público Federal (MPF) anexou ao processo que investiga o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acusado de ser o dono oculto de um apartamento tríplex no Guarujá (SP), outros 72 documentos obtidos pelo órgão que dizem respeito à ação. Dentre esses documentos, ao menos 23 registros de agenda de diretores e presidentes da Petrobras desmentem o que o petista disse em seu depoimento ao juiz Sergio Moro na quarta-feira da semana passada.

Na fala a Moro, Lula afirmou que “nos oito anos que eu fiquei na Presidência da República, a gente não tem reunião com a diretoria da Petrobras. Eu em oito anos tive dois momentos”. Os documentos que registram compromissos da estatal apontam que o ex-presidente se reuniu diversas vezes com diretores investigados pela Operação Lava Jato, como Paulo Roberto Costa, Jorge Zelada e Renato Duque.

Apenas Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras e um dos primeiros executivos da estatal a fechar delação premiada, tem onze agendamentos de conversas com Lula, entre os anos de 2005 e 2009. O ano em que o petista teria se reunido mais vezes com executivos da companhia teria sido 2008, com sete.

No processo em que os documentos foram anexados, o ex-presidente é acusado de ter beneficiado a construtora OAS em três contratos da Petrobras e, em troca, ter sido beneficiado com o tríplex no litoral paulista e com os custos de armazenamento de seu acervo presidencial. As negativas em relação às reuniões com diretores da estatal foram dadas no sentido de defender a tese de que ele, enquanto presidente da República, tem pouca relação com o cotidiano administrativo da Petrobras.

Em nota, a defesa do ex-presidente afirma que os documentos apresentados “somente servem para provar que seus membros têm acesso irrestrito a documentos da Petrobras, ao contrário da defesa do ex-Presidente Lula. Não há paridade de armas na ação. Por outro lado, esses papéis não provam nada contra Lula. As 73 testemunhas ouvidas na ação com a obrigação de dizer a verdade inocentaram o ex-presidente ao mostrarem que ele não é e jamais foi proprietário do triplex e muito menos participou de qualquer ato ilícito envolvendo a Petrobras.”

Nesta semana, o juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na 1ª instância, negou os pedidos da defesa de Lula e do MPF para ouvir novas testemunhas na ação. A alegação do magistrado é que a fase de instrução, a colheita dos depoimentos, já contemplou as questões pertinentes ao processo. Moro agendou, também, os prazos para as alegações finais das partes do processo.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Eli Bussaglia

    Essas reuniões foram com a D. MARISA, o gente perseguidora.

    Curtir

  2. Fábio Luís Inaimo

    Que caráter tem um homem que coloca a esposa como muleta ou alavanca ! Fica a pergunta aos mortadelas de plantão !

    Curtir

  3. Floriano Barros

    A casa caiu PETRALHAS, não tem mais como negar quem é o chefe da quadrilha.

    Curtir

  4. Por essa o verme vagabundo lulladrão não esperava.
    Todos viram que o verme vagabundo mentiu na presença do juiz, se engasgou, tremeu, mas a verdade está aí, o verme vagabundo covarde vai ser condenado e, com certeza, vai ser preso.

    Curtir

  5. Fernando Cesar Romo Rojas

    Eu não Sei de Nada , Não era eu , Era um Clone

    Curtir

  6. E agora Lula? Vai dizer mais uma vez que não se lembra desses encontros, como e’ do seu estilo? Ladrao, vc arruinou o Brasil

    Curtir

  7. joão botelho

    Acho que tanto ele quanto seu advogado tinham como certa alguma ajuda do além. Se deram mal …. bem mal!!!

    Curtir

  8. jose augusto conde folly

    ESPERO QUE ACABEM COM ESSA CORJA DE LULADRÃO E ESSES ADVOGADOS DE BANDIDOS.CADEIA É O MINIMO PRA ESSES VAGABUNDOS.

    Curtir