Zico revela erro tático 35 anos após derrota na Copa da Espanha

Ex-camisa 10 da seleção revelou que Telê Santana não tinha usado esquema tático até aquele jogo

Zico foi o personagem do programa PLACAR AO VIVO nesta quarta-feira, 35 anos após a derrota do Brasil para a Itália no Sarriá, na Copa do Mundo da Espanha. O ex-jogador fez uma crítica à escolha de Telê Santana, que colocou Falcão no time titular. “Aquele time ficou torto pelo lado direito. A gente jogou três anos de uma forma, com Paulo Isidoro ou Tita pela direita, e Zé Sérgio ou Éder pela esquerda, comigo, Sócrates e Cerezo no meio de campo. O Falcão não jogou uma partida nestes três anos (antes da Copa do Mundo), com um 4-3-3″ –  (veja a explicação de Zico no vídeo, após o minuto 41).

O ex-jogador, no entanto, defendeu a forma ofensiva de jogar da seleção brasileira. “Se jogássemos atrás e perdêssemos, seríamos criticados. Com aquela equipe e como a visão do Telê sobre futebol, essa era nossa forma de jogar, perdendo ou ganhando.”

Veja também
Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Paulo Corrêa de Araújo

    O papo do Zico com o cara está muito demorado e chato, mas seja o que Zico disser, o Brasil perdeu aquele jogo por certa bobeira mesmo, e, depois do suadíssimo empate com o gol do Falcão num jogo em que ninguém esperava nada da Itália, naquele momento era mandar o futebol arte pro inferno e trancar o time mesmo, e ficava no empate. Mas houve também três bobeiras fatais: a primeira do Cerezo cruzar aquela bola para o meio da zaga sem olhar direito, a segunda foi um corner que ele também provocou, tentando atrasar a bola com a cabeça para Valdir Peres, quando podia ter saído jogando ou dar um bico para a frente, e a outra foi a do Júnior que não saiu junto com todo mundo, e ficou lá dando condição de jogo para para o Rossi, que parece que só jogou aquela vez na vida.

    Curtir

  2. Carlos Ferreira

    Lembro muito bem desse jogo. Eu tinha nove anos. Foi disparado a perda de copa mais dolorosa de todas. Um dia muito triste que não gosto nem de lembrar. Nem as conquistas de 94 é 2002 compensaram a derrota de 82.

    Curtir