Torcedor Alerta, o aplicativo contra violência nos estádios

Torcedores poderão colaborar com a polícia enviando denúncias em texto e imagens. Desenvolvida em Pernambuco, tecnologia deve ser usada no Brasileirão

Como acabar com a violência entre torcedores, racismo, homofobia e outros tipos de desordem nos estádios brasileiros? Uma startup pernambucana buscou uma forma de ao menos coibir estes problemas ao investir no conceito de segurança colaborativa. Um aplicativo de denúncias chamado Torcedor Alerta será lançado oficialmente em Recife na próxima semana e deve chegar às arquibancadas de todo o país ainda nesta edição do Brasileirão. O torcedor que flagrar algo de errado no estádio poderá enviar sua denúncia a uma central, que imediatamente tomará medidas.

Em colaboração com a Federação Pernambucana de Futebol (FPF) e a polícia local, testes já foram realizados em jogos do Campeonato Pernambucano e da Copa do Nordeste. O lançamento oficial do serviço acontecerá na próxima quarta-feira, dia 17, na final da Copa do Nordeste entre Sport e Bahia, na Ilha do Retiro, com a presença de representantes do Ministério do Esporte e da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Everton Cruz, CEO e desenvolvedor da empresa Mooh Tech, criadora do aplicativo, explica que qualquer tipo de queixa pode ser enviada, por meio de texto, áudio, foto ou vídeo. “O Torcedor Alerta é um aplicativo de denúncias, não um boletim de ocorrência. Qualquer caso de violência, homofobia, racismo, presença de cambistas, tráfico de drogas, ou qualquer que seja o problema, pode ser denunciado e a polícia ou a segurança do estádio serão acionadas.”

O aplicativo foi desenvolvido em parceria com a federação pernambucana, que na semana passada também estreou o uso do árbitro de vídeo no país, e tem contribuído para a modernização do futebol junto à CBF. “As equipes técnicas da CBF e do Ministério do Esporte virão a Recife para chancelar o aplicativo e montar o cronograma de implantação para todos os jogos em território brasileiro”, diz Cruz, desenvolvedor baiano de 33 anos, com passagens por Microsoft e Facebook. 

Como usar

O serviço Torcedor Alerta faz parte do aplicativo gratuito Sempre Alerta, que já está disponível para dispositivos iOS e Android.  “A interação é bem simples, foi pensada para ser o mais rápido e eficiente possível. Lembra muito um mensageiro comum, como o WhatsApp, na qual o torcedor poderá se comunicar diretamente com uma central montada por federação, diretoria dos clubes e polícia”, explica Cruz.

O serviço só ficará disponível dentro ou nos arredores dos estádios cadastrados. Para utilizar o Torcedor Alerta, o usuário terá de ativar o serviço de localização de seu celular, para que a polícia possa rastrear sua posição exata no estádio e enviar socorro. “Isso também impede a realização de trotes, já que apenas pessoas presentes ao estádio poderão realizar as denúncias”, conta Everton.

Punições

No mundo todo, clubes têm sido punidos com multas ou perdas de mando de jogo por causa do mau comportamento de seus torcedores. O Torcedor Alerta trabalhará junto com as autoridades para ajudar na identificação dos responsáveis. “A ideia não é aumentar o número de punições aos clubes, é justamente o oposto. Se houver uma briga na arquibancada ou alguém jogar um objeto no campo, queremos identificar os verdadeiros responsáveis para que respondam por seus atos”, diz Cruz.

Em um teste recente, no clássico entre Sport e Santa Cruz, torcedores que depredaram cadeiras da Ilha do Retiro foram devidamente responsabilizados. “Conseguimos ativar a polícia em tempo recorde e, em menos de três minutos, os vândalos estavam identificados.” Segundo Everton Cruz, o Atlético de Madri já demonstrou interesse em desenvolver essa tecnologia para a inauguração de seu futuro estádio. “Pretendemos levar nosso serviço a estádios de vários países.”