Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tite promete ‘dignidade’ e força total diante de drama chileno

Treinador garantiu que situação das outras seleções não interfere no foco do Brasil e deu pistas sobre possíveis testes no time até a Copa

Tite segue “pilhado”, como ele próprio definiu, apesar de a classificação da seleção brasileira à Copa do Mundo da Rússia já estar garantida. O treinador gritou bastante com os reservas no último treino antes da partida contra o Chile, no Allianz Parque, em São Paulo, nesta segunda-feira e garantiu que sua equipe entrará com força e foco total na despedida das Eliminatórias, independentemente da influência que o jogo possa ter nas outras seleções – o Chile briga com Uruguai, Colômbia, Peru, Argentina e Paraguai por quatro vagas na Rússia.

“Vamos fazer o que é mais importante para nós e para nossa dignidade. Não é nada de extraordinário, vamos dar o máximo, como devemos fazer sempre. Devemos respeitar a nós mesmos primeiro”, disse Tite, negando qualquer hipótese de “corpo mole” da equipe. O treinador gaúcho fez elogios à seleção chilena e espera um jogo complicado na Arena do Palmeiras. “O Chile é a equipe que gosto de ver jogar e que, junto com o Brasil, jogou o melhor futebol do continente nos últimos anos”

O treinador admitiu estar aliviado por ter classificado a equipe com antecedência e não ter de passar pela pressão dos concorrentes. “Temos um sentimento de gratidão muito grande por já estarmos classificados. Todas as outras equipes não estão dormindo pelo tanto que a Copa do Mundo mexe com os países”, disse. “Vai classificar quem fez por merecer em todo o campeonato, não só amanhã.”

Time-base e pistas sobre mudanças

O treinador da seleção respondeu a diversas perguntas sobre a possibilidade de testar novos jogadores até a Copa do Mundo. Diante do Chile, as novidades serão o goleiro Ederson, do Manchester City, e Alex Sandro (que ganhou chance por causa das lesões de Marcelo e Filipe Luís). Tite explicou que, mesmo que o Chile já estivesse classificado ou eliminado, não faria mudanças drásticas.

“Não posso desestruturar a equipe em demasia, geralmente mexo em duas peças no máximo. Quando o treinador começa a mexer em três setores, se perde o senso de equipe, passo a ser ‘professor pardal’ e não a fazer um teste realmente efetivo.” O técnico no entanto falou duas vezes sobre Fernandinho, dando a entender que pensa em testar o time com o volante do Manchester City na vaga de Renato Augusto.

“Daqui a pouco o próximo passo pode ser uma opção com Casemiro e Fernandinho juntos, Coutinho por dentro… Nós já temos uma amostragem, e o jogo vai falar. Eu sei que Coutinho por dentro produz muito (…) Se Paulinho e Renato não renderem vão sentar no banco também. Eu montei uma estrutura, mas não posso ficar só na teoria.”

Questionado sobre a sequência de escândalos no esporte nacional, Tite saiu pela tangente. “Eu tenho opinião sobre todo o aspecto político, sobre o que aconteceu com o COB, por exemplo, mas eu quero ficar focado no meu trabalho. Quem me conhece pessoalmente sabe, mas eu não me permito externar, porque eu tenho uma prioridade, que é meu trabalho. Eu posso? Posso. Eu quero? Quero. Mas eu não devo. Pelo menos nesse momento.”

O técnico Tite durante treino da seleção antes do jogo contra o Chile, no Allianz Parque, em São Paulo (Pedro Martins/Mowa Press)

Confira outras declarações de Tite:

Rodízio de capitães
Todos têm suas valências. Marquinhos: liderança comportamental e de concentração. Casemiro: capacidade de competir em alto nível e leal. Marcelo: qualidade técnica, jogador com estofo de Real Madrid. Miranda: seriedade, com ele não tem sorriso. Renato: capacidade de entender o jogo, junto com Daniel Alves e Thiago Silva. Coutinho: o mágico. Neymar: liderança técnica extraordinária. Aliás, eu não sabia o quanto era ruim enfrentar o Neymar. Mas não tem que colocar a responsabilidade toda em um jogador. O intuito é dividir responsabilidade. Já vi muita gente, quando a situação é ruim, dizer “o capitão não fez nada”.

Seleção chilena
É um time que tem um DNA de bicampeão da Copa América, de triangulação, de jogo combinado, jogada curta, jogadores de qualidade técnica, com entrosamento muito alto. Voltou o Valdivia, que tem um passe de assistência impressionante. Já estão calejados, não vão sentir o jogo decisivo.

Permanência na seleção por muitos anos
Pensar eu pensei, mas ainda é utopia, acho que ainda temos de crescer muito a mentalidade de uma forma geral. Temos de evoluir enquanto técnico, dirigente, formadores de opinião. Eu cobiço um pouco a Alemanha, que consegue fazer essas transições, mas acho que ainda falta muito para o Brasil.

Legado de Dunga
Um técnico acaba emprestando coisas boas e ruins do antecessor. O Renato Augusto já estava afirmado, o sistema estava sendo empregado, então esse é um legado do Dunga. O Alisson era o goleiro…É preciso ter um bom senso. A base é a equipe que teve o sucesso em 2013 e o insucesso em 2014. Há um legado. Trago também problemas, claro, mas também outras coisas boas.