Depois de Inter e Milan, Parma é vendido aos chineses

Por ter mediado negociação, ex-jogador Crespo será vice-presidente do clube italiano

Após Internazionale e Milan, o Parma também foi vendido aos chineses. A agência de marketing Desport, liderada por Jiang Li Zhang, confirmou nesta quinta-feira a compra de 60% dos direitos do Parma Calcio 1913. Desde o início do ano, o ex-jogador Hernán Crespo, junto com emissários da Desport, se encontrava com o até então proprietário do Parma, Marco Ferrari, para firmarem o acordo da venda. Porém, só agora, no final da temporada, é que o acordo foi selado.

Crespo ajudou o negócio entre os investidores chineses e o clube italiano. Por fazer essa mediação, o argentino foi nomeado o novo vice-presidente do Parma.  Além de ser o acionista majoritário do Parma, Jiang Li Zhang já tem participação no futebol europeu. O chinês também é investidor do Granada Club de Fútbol, da Espanha.

Em sua história, o Parma viveu um período de muito sucesso no fim dos  anos 90 e início dos 2000, conquistando diversos títulos internacionais e nacionais. Mas, por causa de uma grave crise financeira, faliu no início de 2015, fechando as suas portas.

Em meados de julho, o clube foi revivido por empresários locais e outros investidores. Disputou a Série D do futebol italiano, foi campeão e subiu para a Série C. Na terceira divisão, conseguiu voltar para a Série B após ter derrotado na final dos play-offs o Alessandria, por 2 a 0, no estádio Artemio Franchi, em Florença.

(Com ANSA)

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Moris Litvak

    Porque os chineses não compram logo o Brasil inteiro? tá baratinho…

    Curtir

  2. sandrungga dias

    Q coisa, n?!

    Curtir