Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Palmeiras x Corinthians: cuidado com a ‘Lei do ex’

No passado, vários atletas com passagens pelos dois clubes marcaram no clássico paulista. Nesta quarta-feira, quatro atletas podem repetir o feito

Numa época em que atletas trocam constantemente de times, marcar um gol contra um ex-clube é algo tão comum que até já ganhou um nome: a lei do ex. Em clássicos, o fato é mais raro, mas também pode acontecer, inclusive nesta quarta-feira, no aguardado Palmeiras x Corinthians, no Allianz Parque, às 21h45, pelo Campeonato Brasileiro.

Quatro jogadores com passagens pelos dois clubes deverão estar em campo: Bruno Henrique e Willian pelo Palmeiras e Gabriel e Marquinhos Gabriel pelo Corinthians. O Palmeiras ainda tem os ex-zagueiros corintianos Antônio Carlos e Edu Dracena, enquanto o Corinthians tem o ex-zagueiro palmeirense Vilson, mas nenhum deles deve participar do jogo.

Veja também

Na história do clássico, sete jogadores marcaram contra seus ex-clubes. Veja a lista abaixo:

Feitiço 

O atacante Feitiço jogou pelo Corinthians em 1921 e entre 1932 e 1933. Defendeu o Palmeiras entre 1938 e 1939 e marcou dois gols em goleada palmeirense por 4 a 1 em jogo amistoso no ano de 1938.

Cláudio

O maior artilheiro da história corintiana, passou pelo Palmeiras entre 1942 e 1943. No rival, virou ídolo entre 1945 e 1957, marcando 21 gols no ex-clube, sendo o maior artilheiro da história do clássico.

Nardo

Jogou no Corinthians entre 1948 e 1951 e depois entre 1952 e 1955. Pelo Palmeiras, jogou entre 1956 e 1961 e marcou um gol em seu ex-clube, no empate em 3 a 3 pelo Troféu Roberto Ugolini.

Dino Sani 

Revelado no Palmeiras em 1950, defendeu o Corinthians no fim de sua carreira, entre 1965 e 1968. Nesse período, marcou dois gols contra o clube que o revelou. O primeiro em vitória de 1 a 0 no Paulista de 1966 e outro no empate em 2 a 2 pelo Rio-São Paulo de 1967.

Neto

Após passar pelo Palmeiras em 1988, o meia transferiu-se para o Corinthians e tornou-se ídolo no rival entre os anos de 1989 e 1993. Marcou apenas um gol contra o Palmeiras, em vitória de 2 a 1 no Morumbi, na quarta rodada da primeira fase do Campeonato Brasileiro de 1990.

Neto, do Corinthians.

Rivaldo

Rivaldo é mais um ex-jogador a fazer muito sucesso no rival. Após um bom Brasileiro em 1993, pelo Corinthians, acabou negociado com o Palmeiras, clube que defendeu de 1994 a 1996. Marcou três gols na decisão do Brasileiro de 1994, dois no primeiro jogo e um no segundo, e ainda fez dois em empate por 2 a 2 no Campeonato Paulista de 1996.

Rivaldo, do Palmeiras, no jogo contra a Portuguesa

Nilson

O centroavante Nilson defendeu o Corinthians entre 1992 e 1993. Entre 1995 e 1996, jogou pelo Palmeiras. Marcou seus dois gols justamente nos jogos finais de 1995, um no primeiro, outro no segundo. Apesar dos gols, o título ficou com o Corinthians.

Jogador Nílson, do Palmeiras, comemora gol em partida contra o Corinthians, em 1995

Edmundo

Ídolo palmeirense entre 1993 e 1995, teve uma passagem rápida pelo Corinthians em 1996. Mesmo assim, marcou duas vezes contra o ex-clube. O primeiro foi em derrota por 3 a 1 no primeiro turno do Campeonato Paulista daquele ano. O segundo, foi no empate em 2 a 2, no segundo turno, em que Rivaldo fez os dois para o Palmeiras. Na volta ao Palmeiras, entre 2006 e 2007, marcou dois gols em vitória de 3 a 0 pelo Campeonato Paulista de 2006.

Edmundo, no Corinthians, no jogo contra o Palmeiras, no Estádio Farazão

Viola

Ao contrário de Edmundo, era ídolo corintiano. Revelado no clube, jogou de 1986 a 1989 e entre 1992 e 1995. Após passagem pelo futebol espanhol, voltou ao Palmeiras em 1996, ficando até o início de 1998. Contra o ex-clube, marcou dois gols. O primeiro em empate por 2 a 2, pelo Campeonato Brasileiro, no Morumbi. O outro, no empate por 2 a 2 na oitava rodada da primeira fase do Campeonato Paulista de 1997.

Atacante Viola, durante treino no CT do Palmeiras em São Paulo

Edílson

Edílson foi campeão Paulista e Brasileiro pelo Palmeiras, entre 1993 e 1994, e em 1995. Pelo Corinthians, jogou de 1997 a 2000. Pelo time, marcou gols importantes contra seu ex-clube. O primeiro foi na Libertadores de 1999, em vitória de 2 a 0 no jogo de volta das quartas de final, que deu classificação ao Palmeiras nos pênaltis. O segundo foi no jogo de ida na final do Campeonato Paulista do mesmo ano, em vitória do Corinthians por 3 a 0. No segundo jogo da decisão, em empate por 2 a 2, voltou a marcar um gol – e ainda provocou uma confusão generalizada ao fazer embaixadinhas no fim da partida. O último veio em 2000, em vitória de 4 a 2, na sexta rodada da terceira fase.

Edílson, do Corinthians, no jogo contra o Cruzeiro, pelo Campeonato Brasileiro de 1998

Luizão

Luizão foi artilheiro do Palmeiras no Campeonato Paulista de 1996. Entre 1999 e 2002 jogou pelo Corinthians e conseguiu ainda mais identificação. Marcou seu primeiro gol no ex-clube em 1999, em derrota de 4 a 1 pelo Campeonato Brasileiro daquele ano. Em 2000, marcou dois gols no jogo de volta da semifinal da Copa Libertadores, na qual o Corinthians perdeu por 3 a 2 e acabou eliminado do torneio. O último, o primeiro em uma vitória, foi durante o Campeonato Paulista de 2001, na qual o Corinthians venceu por 2 a 1 em jogo na primeira fase do torneio. No Campeonato Brasileiro daquele ano, ele voltou a marcar em triunfo corintiano por 4 a 2.

Luizão, do Corinthians, contra a Portuguesa, Campeonato Brasileiro 2001
Donizete Pantera

O atacante Donizete jogou pelo Corinthians em 1997, inclusive marcando gol contra o Palmeiras. Entre 2001 e 2002, jogou pelo Palmeiras e também fez gol em seu ex-time. Na derrota de 4 a 2 no Campeonato Brasileiro de 2001, o atacante marcou um dos gols palmeirenses.

Rogério

Campeão da Libertadores pelo Palmeiras, clube que defendeu de 1996 a 2000, Rogério marcou jogando pelo Corinthians, de pênalti, em empate por 2 a 2 no Brasileiro de 2 a 2 e em vitória de 4 a 2 no jogo de volta da semifinal do Paulista de 2003.

Alessandro

O lateral-direito Alessandro jogou em um curto período no Palmeiras, em 2003. No Corinthians, entre 2008 e 2013, marcou apenas um gol contra seu ex-clube, em vitória bastante significativa pelo Paulistão. O Corinthians acabara de ser eliminado da pré-Libertadores pelo Tolima e o técnico Tite estava ameaçado no cargo. No entanto, um gol de Alessandro definiu a vitória por 1 a 0, no Pacaembu, e acalmou o ambiente no time.

Vagner Love

Vágner Love foi revelado no Palmeiras 2002, jogando até 2004 e novamente em 2009. Em 2015, foi contratado pelo Corinthians e marcou um dos gols do clube no empate por 3 a 3 pelo Campeonato Brasileiro, conquistado pelo clube.