Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Jornal inglês pede desculpas a Paulinho por ‘obituário prematuro’

Alvo de críticas após sua saída do Tottenham, o volante retornará a um estádio inglês nesta terça-feira, no amistoso entre Brasil e Inglaterra

A passagem de Paulinho pelo futebol inglês foi um tanto conturbada. O meio-campista brasileiro deixou o Tottenham em 2015, após duas temporadas apagadas e inúmeras críticas e protestos por parte da torcida e da mídia. O ótimo momento do volante na seleção brasileira e no Barcelona, porém, rendeu uma mea-culpa do jornal britânico The Independent. 

A matéria publicada nesta segunda-feira, na véspera da volta do brasileiro a um estádio inglês (no amistoso entre Inglaterra e Brasil, em Wembley) considera que o volante “retornou dos mortos com o Brasil”, mostrando que os “obituários pós-Tottenham eram prematuros”.

Ainda segundo o jornal, a transferência para o Guangzhou Evergrande, da China, após uma passagem ruim pela Inglaterra e uma “eliminação desastrosa na Copa de 2014” era simplesmente uma “sentença de morte”. Mas destacou seu retorno à seleção nacional e sua participação fundamental nas eliminatórias.

“Seus seis gols ajudaram a classificar o Brasil para a próxima Copa do Mundo, na Rússia. Ao mesmo tempo, depois de se tornar uma das mais opacas contratações do Barcelona desde Christophe Dugarry, ele tem justificado os 40 milhões de euros (cerca de 153 milhões de reais), marcando gols essenciais e oferecendo velocidade ao meio-campo”.

O jornal ainda comparou o estilo de jogo de Paulinho ao do ídolo inglês Frank Lampard, afirmando que o “clássico número 8” de alto nível estava em declínio nos últimos anos. “Mas a energia inesgotável de Paulinho, suas inteligentes entradas na área e porte físico dão a ele um perfil de habilidades muito raro”.

“Paulinho está de volta. Dois anos e meio após não ficar nem no banco durante a final da Copa da Liga Inglesa contra o Chelsea, o meia de 29 anos retornará ao Wembley na noite de terça-feira. Não como uma decepção cara ou em fim de carreira, mas como homem-chave daquele que talvez seja o melhor clube e na provavelmente melhor seleção do mundo no momento”.

Messi, Paulinho e Denis Suárez

Em quatro meses, Paulinho já se tornou figura importante no time do Barcelona (Albert Gea/Reuters)